sexta-feira, 29 de junho de 2012

Filtro Solar e Lampadas Fluorescente são Causadores de Câncer

EM ENTREVISTA A OLGA BONGIOVANNI, DR. ÍTALO ABORDA O TEMA DA "VITAMINA D" QUE, NA VERDADE, NÃO É VITAMINA E SIM UM HORMÔNIO.
 A "VITAMINA D" É MUITO IMPORTANTE PARA A SAÚDE. ELA PREVINE CONTRA VÁRIAS DOENÇAS E A ÚNICA MANEIRA DE ABSORVÊ-LA É TOMANDO SOL. É EVIDENTE QUE A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA TEM LUCRADO MUITO COM INÚMERAS CAMPANHAS CONTRA OS "DANOS" CAUSADOS PELO SOL.


É GRANDE A PUBLICIDADE A FAVOR DO BLOQUEADOR E DO FILTRO SOLAR. O SISTEMA EUGENISTA CRIOU UMA LENDA EM QUE O SOL É UM VILÃO QUANDO, NA VERDADE, ELE TRAZ GRANDES BENEFÍCIOS À SAUDE. O FATO É QUE JUSTAMENTE POR EVITAR O SOL, ADQUIRIMOS DIVERSAS ENFERMIDADES. 
 GISELLE BÜNDCHEN JÁ HAVIA FALADO SOBRE O ENGODO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA. A MODELO NÃO USA PROTETOR SOLAR EM SI MESMA NEM EM SEU FILHO PORQUE O FPS CAUSA CÂNCER DE PELE. 


 O DR. ÍTALO DECLARA QUE O SOL PREVINE CONTRA DOENÇAS COMO HIPERTENSÃO, GRIPE SUÍNA E VÁRIAS OUTRAS E AFIRMA QUE AS LÂMPADAS SÃO AS CAUSADORAS DO CÂNCER. REPARE QUE O GOVERNO FAZ CAMPANHAS PARA QUE A POPULAÇÃO SUBSTITUA AS LÂMPADAS INCANDESCENTES PELAS FLUORESCENTES, MAS NÃO AVISA QUE ELAS SÃO NOCIVAS. 
 OS PRODUTOS UTILIZADOS EM LÂMPADAS FLUORESCENTES SÃO UM RISCO PARA A SAÚDE HUMANA E PARA O MEIO AMBIENTE. O CÁRDMIO, POR EXEMPLO, CAUSA TOSSE, FALTA DE AR, INFLAMAÇÃO NO SISTEMA RESPIRATÓRIO E ATÉ A MORTE. O MERCÚRIO PROVOCA INSÔNIA, FALHA DE MEMÓRIA, LESÕES NO SISTEMA NERVOSO E FRAQUEZA MUSCULAR. O CHUMBO PODE CAUSAR NÁUSEA, CONFUSÃO MENTAL E PERDA DE MEMÓRIA.
Assista ao Vídeo e tire suas conclusões!

terça-feira, 26 de junho de 2012

Coca-Cola vendida no Brasil tem maior concentração de substância potencialmente cancerígena

A Coca-Cola comercializada no Brasil contém a maior concentração do 4-metil-imidazol (4-MI), subproduto presente no corante Caramelo IV, classificado como possivelmente cancerígena. A análise foi realizada no Centro de Pesquisa CSPI (Center for Science in the Public Interest), de Washington D.C. Eles testaram a quantidade da substância nas latas de Coca-Cola também vendidas no Canadá, Emirados Árabe, México, Reino Unido e nos Estados Unidos. As informações sobre o estudo foram divulgadas pelo Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor).


  
De acordo com o Centro de Pesquisa CSPI, o refrigerante vendido no Brasil contém 263 mcg (microgramas) do corante cancerígeno em 350 ml. Essa concentração é muito maior em comparação com a Coca-Cola vendida no Quênia 
                                          


Concentrações


A Coca-Cola do Brasil fornece nove vezes mais o limite diário de 4-MI estabelecido pelo governo da Califórnia, que estipulou a quantidade máxima de 39 ml do refrigerante por dia e nenhum outro produto que possui o corante Caramelo IV em sua composição.

Como nos últimos 30 anos o consumo de refrigerante quintuplicou no Brasil, o Idec ressalta que, independentemente da presença do corante, todas as bebidas que contêm açúcar devem ser evitadas, pois se consumidas em excesso podem aumentar o risco de diabetes, obesidade e doenças associadas aos cânceres de esôfago, rins, pâncreas, endométrio, vesícula biliar, cólon e reto.


Quantidade de 4-Metil-Imidazol(4-MI) Na Coca Cola Em Nove Países
Clique na Imagem para ver em tamanho ampliado







Mudanças

Nos Estados Unidos, após diversas petições de entidades de defesa do consumidor, o Estado da Califórnia reconheceu a periculosidade do aditivo. Diante disso, empresas como a Coca-Cola e a Pepsi dos Estados Unidos divulgaram que realizarão mudanças em suas fórmulas, de acordo com o instituto.
Por ser um ingrediente que desempenha uma função puramente estética, o Idec questionou às empresas brasileiras se elas possuíam outras alternativas ao Caramelo IV. Foi indagada, ainda, a quantidade de 2-metilimidazol e 4-metilimidazol presente em seus produtos.

À Anvisa, o Idec questionou a base científica para permissão do uso do Caramelo IV no Brasil (estudos que garantem a segurança do aditivo), e se a agência monitora as quantidades de Caramelo IV e 2-metilimidazol e 4-metilimidazol presentes nos produtos alimentícios brasileiros. O Idec exigiu que a agência adotasse providências imediatas, tendo em vista a proteção à saúde do consumidor.
As empresas e a Anvisa terão o prazo de 10 dias para responder aos questionamentos do Idec.


Outro lado

No fim da tarde desta segunda-feira, a Coca-Cola enviou comunicado em que afirma que quantidade da substância 4-metil-imidazol (4-MI) presente no corante caramelo utilizado nos produtos é "absolutamente segura" e segue os padrões aprovados pela Anvisa.

"Coca-Cola não vai alterar sua fórmula mundialmente conhecida. Mudanças no processo de fabricação de qualquer um dos ingredientes, como o corante caramelo, não tem potencial para modificar a cor ou o sabor da bebida. Ao longo dos anos já implementamos outras mudanças no processo de fabricação de ingredientes, no entanto, sem alterar nossa fórmula secreta", afirma a empresa.

"Continuamos a nos orientar por evidências científicas sólidas para garantir que nossos produtos sejam seguros. Coca-Cola Brasil produz bebidas rigorosamente dentro das normas e observando as regras sobre quantidades e ingredientes recomendadas. O elevado padrão de qualidade e segurança dos nossos produtos permanece sendo nossa mais alta prioridade."











Fonte:UOL






Nota de Observação:  


Queridos leitores de certa forma este é um assunto requitando tenho ciência disto.Como o assunto do dia foi este também trouxe até vocês. Só para constar a um tempo atrás a fabricante de refrigerantes Dolly que é concorrente da Coca-Cola, já havia denunciado a cerca da quantidade em excesso do 4-Mi, e o governo brasileiro fez pouco caso do assunto e ignorou por completo os alertas .  


Outro fato importante é que o Nitrato que é largamente utilizado no Brasil na fabricação de conservas de embutidos de carne(Linguiça,salsicha etc) aumenta em mais de 50% o risco de cancer de Intestino.Por que o Governo, através da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária,) não proíbe o nitrato de sódio e o nitrito de sódio nos alimentos? Porque há um forte loby da poderosa indústria da carne. Leia-se BRF Brasil Foods (Sadia, Perdigão, Elegê etc.), Marfrig (Seara), JBS (Swift, Vigor, Friboi, Bordon, Bertin, Anglo), Aurora, Marba, Nobre etc.   

Sabemos que tudo em execesso é Prejudicial,então o que vale em qualquer caso  seja no comer ou no beber é a Moderação!




segunda-feira, 25 de junho de 2012

Esclerose Multipla e Vitamina D...o que tem em comum? A Cura!!!


Massacre no Paraguai...Seis policiais e onze camponeses foram mortos durante um desalojamento de trabalhadores sem-terra

video


A morte de seis policiais e de onze camponeses durante um desalojamento de trabalhadores sem-terra de uma fazenda na sexta-feira em Curuguaty, 250 km a nordeste de Assunção, revela uma antiga disputa pela propriedade da terra no Paraguai, país marcado pela desigualdade social.

"O Paraguai está sentado em um barril de pólvora. Teve que acontecer esta tragédia para que as autoridades voltassem a olhar com seriedade as exigências camponesas", disse à AFP Corsino Coronel, líder dos sem-terra.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Às vésperas dos Jogos, Londres ‘limpa’ área do parque olímpico de pobres e indesejados


 Faltam pouco mais de dois meses para o início da Olimpíada de Londres. A tocha, que já foi acesa na Grécia, vai percorrer o mundo e circular pelas ruas da capital britânica até acender a pira no Parque Olímpico de Stratford, zona leste da cidade. 


Dentro do estádio, 80.000 pessoas vão vibrar com a cerimônia de abertura enquanto, do lado de fora, moradores, ex-moradores e ativistas vão denunciar a “limpeza” da área, uma das mais empobrecidas do país, feita à base de políticas agressivas de coerção e remoção de pessoas em favor do “benefício econômico”.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Rio+20 é o inimigo (ou: contra a sustentabilidade)


A Rio+20 é uma idiotice, desperdício de tempo e dinheiro, e contraproducente. Não vai dar em rigorosamente nada. Nem teria por quê. Não há o que debater. Os parâmetros pré-determinados para o debate garantem o fracasso da conferência.
A imprensa mundial trata o evento com a desimportância que merece. Um giro minutos atrás por BBC, CNN, Guardian, New York Times e El País não mostrou uma linha sobre a Rio+20. Le Monde tem um artigo escondidinho — mas só usa o gancho da conferência para cutucar Dilma, explicando sua moleza com os ruralistas na história do novo Código Florestal.
A razão do fracasso da Rio+20 não é a ausência de Barack Obama, presidente do país mais poluidor e poderoso, ou Angela Merkel, líder do país que dá as cartas na eurolândia. Nem os vagalhões que solapam a economia do mundo em suas premissas fundamentais.

Vergonha brasileira: estamos importando feijão preto da China... Desde de 2008


 A tradicional feijoada brasileira também é meio chinesa. O avanço do gigante asiático no mercado mundial vai além dos tablets, eletrônicos e das bugigangas que invadiram camelôs e lojas. Até abril deste ano, 44% das 78,2 mil toneladas de feijão-preto importado pelo País vieram da China, fatia quase equivalente à da Argentina (48%), velho fornecedor do grão.


A China nem aparecia nas compras externas brasileiras de feijão-preto seis anos atrás. Já em 2011, o feijão chinês era 33% das importações. E, só em abril deste ano, a participação atingiu 72,9%, apontam os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, elaborados pela Federação da Agricultura do Estado de Paraná (Faep). 

sábado, 9 de junho de 2012

"Cuidado com os burros motivados"

Observador contumaz das manias humanas, Roberto Shinyashiki está cansado dos jogos de aparência que tomaram conta das corporações e das famílias. 


Nas entrevistas de emprego, por exemplo, os candidatos repetem o que imaginam que deve ser dito. Num teatro constante, são todos felizes, motivados, corretos, embora muitas vezes pequem na competência. Dizem-se perfeccionistas: ninguém comete falhas, ninguém erra.
Como Álvaro de Campos (heterônimo de Fernando Pessoa) em Poema em linha reta, o psiquiatra não compartilha da síndrome de super-heróis. “Nunca conheci quem tivesse levado porrada na vida (...) Toda a gente que eu conheço e que fala comigo nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho, nunca foi senão príncipe”, dizem os versos que o inspiraram a escrever Heróis de verdade (Editora Gente, 168 págs., R$ 25)


 Farto de semideuses,Roberto Shinyashiki faz soar seu alerta por uma mudança de atitude. “O mundo precisa de pessoas mais simples e verdadeiras.”

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Argentinos protestam contra Cristina Kirchner

Aproximadamente 5 mil pessoas protestaram na noite de quinta-feira contra o governo argentino e o controle sobre a venda de dólares - em uma manifestação organizada por meio de redes sociais. A ação ocorreu na Praça de Maio, em frente à Casa Rosada, a sede do governo, na capital Buenos Aires.

O protesto acontece sete meses após a reeleição da presidente da Argentina, Cristina Kirchner, com 54% dos votos, e um dia após ela afirmar que trocaria seus depósitos pessoais em dólares por investimentos em moeda local, o peso.
No discurso, Cristina pediu que ministros e outras autoridades do governo seguissem o exemplo para que seja "superada a cultura argentina" de pensar em dólares.
O governo decidiu controlar a venda da moeda americana desde novembro do ano passado e nos últimos dias intensificou o controle da venda das divisas.

Analistas econômicos observam que tradicionalmente os argentinos de classes média e alta poupam em dólares, especialmente em tempos de inflação alta ou de desconfianças nas medidas governamentais.
A manifestação de quinta-feira é terceira em pouco mais de uma semana. Nos dias 1 e 2 de maio, protestos semelhantes ocorreram em Buenos Aires, mas em menor escala.
Os manifestantes bateram panelas e ergueram cartazes que exigiam, além do fim do controle sobre a venda de dólares, o combate à corrupção, à inflação e à insegurança pública.

Redes sociais

O protesto foi convocado pelo Twitter e pelo Facebook. A concentração na Praça de Maio aconteceu após caminhada dos manifestantes batendo panelas pelas principais avenidas da cidade, como a Santa Fé, no bairro da Recoleta, e Nove de Julio, no centro.
Também ocorreram protestos nos bairros de classe média Belgrano, Caballito, Flores, Palermo e San Telmo. Foi registrado ainda um panelaço em frente à residência presidencial de Olivos, na zona norte da província de Buenos Aires.

"O problema não é o dólar, é a inflação. Os argentinos estão tentando proteger seu dinheiro e o governo ainda está em tempo de resolver este problema", afirmou o ex-presidente do Banco Central, o economista Martín Redrado, critico do governo.

"Quando os argentinos sentem a inflação e percebem que o dinheiro não chega até o fim do mês então passam a prestar ainda mais atenção nos casos de corrupção do governo. É o que está acontecendo", disse a analista Mariel Fornoni, da consultoria política Managment&Fit.

Em 2008, protesto similar foi realizado em Buenos Aires e outras cidades do país pedindo "diálogo" da presidente com produtores rurais que realizavam paralisação. Cristina não costuma conversar com opositores, segundo observou a senadora e jornalista Norma Morandini.


Fonte: BBC Brasil

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Papanicolau apresenta elevado índice de erro em seu resultado final

Ele é tecnicamente chamado de citologia oncológica, mas é popularmente conhecido como papanicolau. O exame ginecológico, utilizado para detectar a presença de alterações nas células do colo do útero que sinalizam doenças como o câncer de colo de útero e o HPV, faz parte da rotina de saúde preventina da mulher.

A recomendação é que seja feito pelo menos uma vez por ano para afastar o risco das alterações. A medida ganhou mais força após um dado divulgado recentemente pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) de que o papanicolau pode apresentar erro de até 60% em seu diagnóstico final.

A explicação para as falhas significativas seria por conta do processo de análise ser praticamente artesanal. Durante as etapas do exame, ocorre a perda natural de parte das células coletadas e isso faz com que o resultado fique comprometido. "Não é o médico ou o laboratório que erra na hora da análise. É o próprio processo utilizado, o principal causador das adulterações no resultado final, por isso é recomendável que as mulheres façam o papanicolau todos os anos. Assim, se passou alguma coisa em branco, dá para ver no ano seguinte", explica a ginecologista Luciana Crema.  
"Durante as etapas do exame, ocorre a perda natural de parte das células coletadas e isso faz com que o resultado fique comprometido".
Como funciona o exame
-Primeiramente, coleta-se uma amostra de células do colo do útero da paciente com uma "colher de raspagem"

- Depois, esta amostra é retirada da colher e colocada em uma lâmina onde será fixada e, a seguir, é colocada em uma solução que irá conservá-la durante o transporte até o laboratório

-No laboratório, a amostra sofre a ação de um corante chamado papanicolau (daí o nome popular do exame), que aponta as células alteradas

-O especialista faz a leitura microscópica das lâminas e obtém o diagnóstico final  
Papanicolau
Motivos das falhas
O resultado adulterado acontece quando ocorre a perda de um número significativo de células doentes na hora de analisar a amostra. "Dessa forma, o laboratório pode detectar somente as células saudáveis, dificultando a identificação de doenças como o HPV e o câncer de colo de útero", explica a ginecologista.

O mesmo pode acontecer quando a amostra sofre uma baixa no número de células saudáveis. "A paciente vai receber a notícia de que precisa fazer outros exames, porque o papanicolau detectou alterações sugestivas de alguma doença, de modo que se o procedimento estivesse correto não seria necessária de outra intervenção", diz Luciana. 
Técnicas alternativas

- Atualmente, os laboratórios optam pela execução do processo sem a transposição do material colhido da colher para a lâmina, assim, o risco de perda de material é menor.

- Outra alternativa confiável é combinar o papanicolau com outro exame bastante importante na detecção de doenças, a coloscopia, que, através da ação do ácido acético, funciona como uma espécie de lupa de aumento, possibilitando uma melhor visualização das células alteradas. 
"Quando feito todos os anos, seus índices de erro diminuem e, por isso, deve ser feito regularmente".
No caso de HPV
O exame de papanicolau é preventivo e não curativo, porém, no caso do HPV, embora ele possa indicar alterações que sugerem a presença do vírus não é capaz de dar indícios confiáveis deste diagnóstico, por isso, a alternativa mais eficiente para detectar o vírus é associar o papanicolau a uma pesquisa viral nas células, que é mais eficiente que o uso isolado do papanicolau.

Por que continuar a fazer o exame?
A ginecologista Luciana Crema explica que, embora falhe, o papanicolau ainda é o método mais eficiente na detecção de doenças graves, com o câncer de colo de útero, que se diagnosticadas a tempo, têm as chances de cura elevadas. "Apesar de apresentar falhas, o exame ainda é a melhor maneira para evitar doenças mais graves. Quando feito todos os anos, seus índices de erro diminuem e, por isso, deve ser feito regularmente", finaliza Luciana. 

Fonte: Minha Vida

quarta-feira, 6 de junho de 2012

ENQUANTO ISSO NOS EUA: POBRES SÃO ENTERRADOS EM VALAS !



Trinta mortos eram enterrados em vala comum no subúrbio de Chicago quarta-feira, devido à falta de capacidade financeira para fornecer pessoal e custos de aterros funerários cobertura como essas pessoas estavam vivas. Valas comuns, embora até agora
criado principalmente em países do terceiro mundo, a maioria está cada vez mais emergente em os EUA como um resultado da crise económica.

Os corpos sem vida de trinta pessoas foram transferidas para o Homewood cemitério Memorial Gardens, 25 quilômetros a sudoeste de Chicago, e até mesmo a seção especial criada para aqueles que não podem pagar para assegurar-se de um funeral decente. Durante o enterro em massa, não comparecer a quaisquer parentes ou amigos do morto.

A existência desta parte do cemitério veio à tona no ano passado, provocando discussões sobre a necessidade de uma legislação mais rigorosa para limitar a arbitrariedade no que diz respeito à forma como o sepultamento nos cemitérios.No entanto, a crise financeira aguda levou a cidadãos indigentes de crescimento sustentado e as autoridades estaduais não adotaram as medidas necessárias que lhes darão uma maneira mais humana de licença funeral, quando suas vidas.






Fonte: Anti-NTP

terça-feira, 5 de junho de 2012

Jubileu dos Oprimidos

Enquanto a maior parte dos olhares Ingleses voltaram-se para o Jubileu da Rainha...
uns poucos e corajosos estavam a protestar pela desigualdade e medidas de austeridades que assolam o País.

Críticos da 'vida de luxo da realeza' passam longe do Jubileu

Enquanto muitos britânicos estão celebrando o jubileu de diamante da rainha Elizabeth 2ª em festas de rua e comemorações oficiais, outros estão aproveitando a ocasião para reforçar suas críticas à monarquia. O Reino Unido celebra, entre sábado e terça-feira, um feriado prolongado pelos 60 anos do reinado de Elizabeth 2ª, com cerimônias que vão desde um monumental passeio de barcos pelo rio Tâmisa, neste domingo, até um show de música no palácio de Buckingham, na segunda-feira.

Mas Londres e outras grandes cidades britânicas também estão sendo palco de pequenos protestos, organizados por pessoas que rejeitam o fato de o país ter uma chefe de Estado que não foi eleita pelo voto popular. Pesquisas de opinião mostram que as celebrações do jubileu elevaram a popularidade da família real.


Críticos da monarquia, porém, estimam que a família real implique gastos de cerca de R$ 646 milhões por ano por causa do alto custo com segurança, sobretudo quando há grandes eventos, como o casamento do príncipe no ano passado e o Jubileu neste ano.


Ao mesmo tempo, muitos criticam as despesas com a festança - só o passeio de barco pelo rio Tâmisa custará o equivalente a R$ 30 milhões, que serão financiados de forma privada. 


Mas os gastos de segurança recairão sobre os bolsos dos contribuintes. A BBC News colheu o depoimento de alguns de alguns cidadãos comuns que não veem nada para comemorar neste jubileu.

 Steve Hughes, morador do norte da Inglaterra, vai aproveitar o feriado para sair do país. "A ideia de celebrar a vida de luxo da rainha me faz passar mal", disse ele. "Estava discutindo a monarquia (com amigos no pub) e muitos lembraram que essas celebrações estão acontecendo num momento de austeridade (na Grã-Bretanha), em que muitos estão perdendo seus empregos.

Os privilégios da realeza também incomodam Ian Stephenson, de Consett (norte inglês). "Não entendo porque uma pessoa pode ser colocada acima de outras", disse. "O sentimento monarquista certamente existe em muitas pessoas, mas não para a maioria. Há uma maioria silenciosa que não liga para isso. E há alguns, como eu, que abominam essa palhaçada."

Steve Gauge, de Caterham, sul de Londres, também vai protestar. "Farei um protesto antimonarquia perto da Tower Bridge (parte leste do rio Tâmisa) neste domingo. Já é tempo de termos um chefe de Estado eleito em vez desta farsa ridículas e cara", disse. "Ao redor do mundo, as pessoas estão se levantando pela democracia. Um político tem que ser alguém eleito pelo povo, e ninguém escolheu a rainha."

domingo, 3 de junho de 2012

Documentário satírico denuncia 'incompetência' na ONU

O documentário foi rodado em diferentes partes do mundo onde há missões da ONU e também nas sedes do organismo em Nova York e Genebra
video


Nações Unidas - Os diretores Matt Groff e Ami Horowitz se propuseram a mostrar para o mundo que ''incompetência e corrupção'' são as melhores palavras para definir as Nações Unidas e, para isso, estreiam nesta sexta-feira nos Estados Unidos o documentário satírico ''UN Me'', que pretende ridicularizar o trabalho do organismo internacional.

Com uma clara influência do trabalho do cineasta americano Michael Moore, Groff e Horowitz apresentam um documentário que tem como objetivo demonstrar ''como uma organização fundada para enobrecer a humanidade se transformou em um lugar que partilha o mal e alimenta o caos global'', segundo defendem nas notas do filme.
O documentário, rodado em diferentes partes do mundo onde há missões da ONU e também nas sedes do organismo em Nova York e Genebra, apresenta Horowitz diante da câmera fazendo várias perguntas incômodas a embaixadores, diplomatas e funcionários do organismo.
''O filme lança um olhar bem humorado e assustador sobre a escandalosa falta de respeito da ONU com pessoas e princípios de sua fundação'', acrescentam os promotores do documentário, para quem a ONU é ''incompetente e corrupta'', além de ser ''um clube de ditadores e tiranos''.
Quando a ONU foi fundada, há mais de 60 anos, personificava ''nossa esperança de um mundo mais seguro e pacífico'', dizem os diretores, que apontam que, ''enquanto surgirem informações de violações de direitos humanos e conflitos internacionais'', as Nações Unidas terão razão para seus ideais.

Objetivo é demonstrar ''como uma organização fundada para enobrecer a humanidade se transformou em um lugar que partilha o mal e alimenta o caos global''


Os diretores apresentaram o filme pela primeira vez em 2009, no Festival Internacional de Documentários de Amsterdã. Desde então, ''UN Me'' já levou o prêmio de melhor documentário no Festival de Cinema de New Hampshire.

O documentário, com um forte tom satírico, repassa alguns dos fracassos mais famosos do organismo, como o do programa Petróleo por Comida no Iraque, que resultou em casos de corrupção, e a lenta reação do Conselho de Direitos Humanos da ONU perante o genocídio na região sudanesa de Darfur.
O filme apresenta vários testemunhos de membros das Forças de Paz, que dizem que são pagos ''para não fazerem nada'' e que passam o dia com mulheres e em festas. Outro ponto abordado é o fracasso da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) para investigar se o Irã fabrica armas nucleares.
O documentário pode ser visto a partir desta sexta-feira em algumas salas das principais cidades dos Estados Unidos, como Nova York, Los Angeles, Chicago, Washington, Houston e Dallas, entre outras, e está disponível em várias plataformas online, como o iTunes. 

sábado, 2 de junho de 2012

Havia uma bolha de entusiasmo pelo Brasil - e agora ela estourou

A desaceleração da economia brasileira estourou o que muitos analistas acreditam ter sido uma "bolha" de entusiasmo pelo Brasil no exterior.
Esse ritmo mais lento da economia brasileira foi confirmado nesta sexta-feira com a divulgação dos dados do Produto Interno Bruto (PIB) pelo IBGE. Segundo os números, no primeiro trimestre deste ano, o Brasil cresceu apenas 0,2% em relação aos três últimos meses de 2011.
Na segunda metade dos anos 2000, quando o Brasil ganhou a preferência de investidores estrangeiros, os holofotes da mídia internacional e, de quebra, o direito de sediar uma Olimpíada e uma Copa do Mundo, o termo "Brasilmania" passou a ser usado para referir-se ao crescente interesse internacional pelo país.
Agora, não só o fenômeno parece estar perdendo força como já há especialistas denunciando "exagero" nas análises negativas sobre a economia brasileira.
Um desses analistas é Jim O'Neill, economista do Goldman Sachs conhecido por criar o termo Bric (Brasil, Rússia, Índia e China)."Os mercados financeiros costumam ir de um extremo a outro quando suas expectativas sobre um país não são confirmadas", disse O'Neill à BBC Brasil.
"As previsões para o crescimento brasileiro eram muito elevadas, principalmente depois da alta de 7,5% do PIB em 2010, e ajustes eram necessários. Mas agora há análises que estão exagerando problemas e riscos para o Brasil."