sábado, 10 de novembro de 2012

Acampamento da FEMA em Nova Jersey é como uma prisão


Bem Vindos aos Novos Campos de Concentração da "FEMA"

Como havia dito, em uma postagem anterior sobre o Pesadelo dos campos de concentração da F.E.M.A  Eis tudo o que acontece agora, A tempestade "Sandy" criou um clima perfeito para pôr em prática planos nada agradáveis para acolher os Americanos num ambiente infernal, isso sem esquecer de mencionar que há pairando no "Ar" um clima de que, O Governos pode dá inicio á Apropriação indevida de propriedades privadas, justamente aprisionando a população nesses Campos de concentração, pode ser um "Plano" perfeito. é assim que vejo....mais e a liberdade? Hum...Ela já não existe (se existiu algum dia) mais na América do Norte foi a primeira a morrer, A Locomotiva "America" está em rota de colisão com  desastres "Incomuns" O titulo de presidente que Obama ostenta é tão insignificante e medíocre diante de tantas desgraças vindouras, aliás não sou eu que afirmo tais acontecimentos, está óbvio á qualquer um....em qualquer lugar não só na América...lembrando que esses fatos são isolados á América e está concentrado apenas em um plano "Piloto" para futuras "Catástrofes", aliando assim "Controle" massivo da população face a desgraça alheia, Talvez não seja exatamente assim como disse, alguns fatores serão mudados como é de praxe, mais o propósito será exatamente este, não haverá perspectiva "Boas" nem á Curto ou Longo prazo...esta é a Ciência exata para Futuras gerações. Ops!! lembrando que corre o risco das "Seguradoras" Querer se eximir da responsabilidade de arcar com os Prejuízos causados pelo "Sandy"....então envia todo mundo para "Camp F.E.M.A".
Acampamento da Fema em Nova Jersey - Reprodução/CBS TV


Texto: ByLorenzo
Norte-americanos de Nova Jersey, que tiveram suas residências destruídas pela Supertempestade Sandy, começam a revelar que os acampamentos da Fema são como uma prisão.
Segundo as informações divulgadas pelo jornal Asbury Park Press, milhares de desabrigados foram obrigados a deixar suas casas, que estavam danificadas ou em uma área considerada de risco, para morar em péssimas condições em abrigos da FEMA, um órgão do governo preparado para enfrentar desastres naturais, que foram montados no nordeste do estado.
Os desabrigados revelaram que são mantidos dentro dos campos “em segrego”, sem permissão para utilizar eletricidade para carregar telefones celulares e com restrições para deixar o local. De acordo com o site Infowars, os acampamentos são mantidos com cerca elétrica e vigiados por torres e rondas. Devido ao excesso de segurança, poucas informações chegam a imprensa.
Desabrigada no acampamento da Fema em Nova Jersey - Foto divulgada por Brian Sotelo







Brian Sotelo, um dos poucos moradores do acampamento que conseguiram se comunicar com outras pessoas disse: “Todo mundo está com raiva por aqui, é como estar na prisão”.
Fotos divulgadas nesta sexta-feira mostram pessoas tentando se aquecer com cobertores e sacos plásticos.
Sotelo diz que funcionários tentaram impedir que fossem feitas algumas fotos das péssimas condições dos campos.
Mais de 30 mil pessoas, atingidas pela Supertempestade, estão morando em casas de parentes, em hotéis e nos acampamentos.
Em Nova York, 12 mil pessoas estão há 10 dias sem eletricidade. O prefeito Michael Bloomberg ordenou o racionamento de combustível, sem data para terminar.
Fonte:IAnoticia




domingo, 4 de novembro de 2012

Doença renal misteriosa atinge milhares em 2 continentes e intriga pesquisadores

Uma doença renal misteriosa vem atacando milhares de pessoas em comunidades rurais do sudeste asiático e da América Central. O aparecimento da doença intriga os pesquisadores, que ainda não conseguiram identificar as causas exatas da enfermidade.

Epidemia acomete sistema renal de trabalhadores da Ásia e da América Central; acima, agricultor indiano faz diálise
 No vilarejo de Halmillawetiya, na Província Centro-Norte do Sri Lanka, o agricultor Sampath Kumarasinghe, de 21 anos, descansa em um banco de madeira em frente à casa que divide com a mãe, viúva.

 Apesar do calor, ele usa um gorro de lã e seus movimentos são bastante lentos para alguém de sua idade.
Como a maioria dos moradores do vilarejo, ele é um plantador de arroz, mas ultimamente ele não tem tido forças para trabalhar.
Os rins de Kumarasinghe não funcionam direito. Eles não estão mais conseguindo filtrar seu sangue.
"Meu corpo está fraco", ele diz. O agricultor é mantido vivo pela diálise, que realiza duas vezes por semana em um hospital regional. Ele espera conseguir um transplante de rim.

Kumarasinghe é uma das milhares de pessoas na Província Centro-Norte sofrendo de doença renal crônica.
Segundo o Ministério da Saúde do Sri Lanka, 15% da população local foi afetada. A maioria dessas pessoas são cultivadores de arroz.

Ilha das Viúvas

A milhares de quilômetros de distância, Maudiel Martínez abre a porta de sua casa simples na comunidade La Isla, no oeste da Nicarágua.
Um pano faz as vezes de porta e deixa ver o rosto pálido de Martínez, com ossos protuberantes. Ele anda como um idoso, apesar de ter apenas 19 anos.
A epidemia misteriosa vem ganhando terreno na América Central e já é a segunda maior causa de mortes de homens em El Salvador. Na Nicarágua, a doença mata mais que o vírus HIV e a diabetes combinados.
"Essa doença é assim. Você me vê agora, mas em um mês eu posso não estar mais aqui. Ela pode me levar de repente", afirma Martínez.
Ele sabe do que está falando. Seu pai e um avô morreram com a doença. Três de seus irmãos também têm o problema. Todos eles trabalhavam no cultivo da cana-de-açúcar.

Agricultora mostra foto de seu marido e de colegas afetados pela doença na Nicarágua
ADoença atinge 6 países da América Central, como os nicaraguenses da foto acima

A doença renal crônica já matou tantos homens na comunidade de La Isla que o local já é conhecido popularmente como "La Isla de las Viudas" (A ilha das viúvas, em português).



 Epidemia
A epidemia já atinge seis países da América Central, em suas regiões ao longo da Costa do Pacífico. Também foi identificada na Índia e no Sri Lanka.

A causa ainda é desconhecida, mas os pesquisadores acreditam que as vítimas estejam sendo contaminadas como resultado de seu próprio trabalho.

As epidemias nas três regiões têm vários pontos em comum. As vítimas são em sua grande maioria relativamente jovens agricultores. Muito poucos sofriam de diabetes e de pressão alta, os fatores de risco mais comuns para doença renal.

Todos sofrem com um problema conhecido como nefrite túbulo-intersticial, que provoca desidratação grave e envenenamento do sangue.

O problema afeta áreas geográficas específicas que são bastante férteis e muito quentes. As vítimas em sua maioria fazem trabalhos manuais pesados, têm pouca educação formal e pouco acesso a cuidados médicos. Em todas as áreas, os primeiros casos apareceram nos anos 1990.

Os cientistas acreditam que o problema pode estar ligado a algum produto químico presente ou utilizado nas lavouras desses locais, mas as pesquisas até hoje não conseguiram identificar exatamente o causador da doença.

Com isso, não há tratamento disponível para a doença, nem uma maneira conhecida de preveni-la.
"É importante que a doença renal crônica, que afeta milhares de trabalhadores rurais na América Central, seja reconhecida pelo que é - uma grande epidemia com um tremendo impacto na população", afirma Victor Penchaszadeh, epidemiologista da Universidade Columbia, nos Estados Unidos, e consultor da Organização Pan-Americana de Saúde sobre doenças crônicas na América Latina.


Estudo

Apesar de o mistério ainda permanecer sobre as causas da doença, uma pesquisa iniciada há quatro anos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo governo do Sri Lanka começa a indicar possíveis caminhos.

Os pesquisadores testaram a população e o ambiente, tomando amostras de sangue, urina e tecidos das pessoas e de alimentos, de água e do ar da região.

Cultivador de arroz em Padaviya, Sri Lanka, país afetado pela doença renal crônica
Origem da doença é um mistério, mas suspeita-se que tenha relação com fertilizantes e pesticidas 

Origem da doença é um mistério, mas suspeita-se que tenha relação com fertilizantes e pesticidas
Os resultados, divulgados há poucas semanas, sugerem que os culpados podem ser dois metais tóxicos - cádmio e arsênico - que estariam contaminando os alimentos e o ar.

Segundo o Ministério da Saúde do Sri Lanka, os exames indicaram níveis relativamente altos dos dois metais no sangue e na urina da população da Província Centro-Norte.

Apesar de os níveis estarem geralmente dentro do que é considerado seguro, a exposição contínua a esses elementos pode ser prejudicial.

O novo estudo também indica que os metais poderiam estar vindo de fertilizantes e pesticidas, baratos e superutilizados na região.

Muitos médicos e cientistas familiarizados com o estudo concordam que mais pesquisas ainda são necessárias, mas acreditam que os químicos usados na agricultura são ao menos parcialmente responsáveis pelo problema.



Fonte: BBC Brasil

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Halloween: o controle e a alienação dos consumidores.


Volto a tratar deste assunto pela importância que ele tem não por sua existência no Brasil, mas porque demonstra os modos de controle que o mercado exerce sobre os consumidores em geral e a dificuldade que existe para a tomada de consciência da possibilidade de libertação das amarras tão bem engendradas pelo capitalismo contemporâneo.
Continue Lendo...

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Rede Globo reacende a polêmica das Vacinas

A Rede Globo de Televisão está exibindo atualmente  a novela Lado a Lado, até ai nada de mais. É mais uma de suas "super produções para alienação".
Na novela ela reacende um assunto que me pareceu um tanto quanto fora de sintonia, trata-se da  polêmica das Vacinas algo muito estranho dado a época em que se baseia a novela, inicio do século XX.
A meu ver está claro que é uma forma de desviar a atenção para os fatos atuais!
Por isso eu pergunto:
Por que só agora a Globo resolveu criar este circo alegórico?  Será uma deixa para passar desapercebido uma nova onda de vacinação em massa? Uns sendo contras, outros a favor... algo que vai sair da fixação e se tornar real?
Pri

video



Capoeiras enfrentam policiais contra a vacina obrigatória e a cidade fica em guerra



                           




















Não é só o povo da favela que se rebelou contra a vacina obrigatória. Moradores do resto da cidade também se revoltam contra policiais que insistem em vaciná-los sem informar o que é a campanha.
Os manifestantes seguem gritando "Abaixo a vacina!" e o quebra-quebra começa. Praxedes(Guilherme Piva) reúne seus homens para o enfrentamento. Só que o delegado não contava com a participação dos capoeiras, que surpreendem pela retaguarda. Sob o comando de Zé Maria (Lázaro Ramos), eles desarmam os oficiais e mostram que estão em larga vantagem obrigando Praxedes a recuar. Fonte: G1

sábado, 6 de outubro de 2012

Pega Ladrão!






Pega Ladrão! Gabriel O Pensador
"- Vossa Excelência, agora explique, mas não complique!
- Vossa Excelência, eu já expliquei! Eu não vi essa lista.
Eu afirmo com a mais absoluta certeza e sinceridade
Que eu nunca vi essa lista!
Não sei dessa lista, não quero saber e tenho raiva de quem sabe!
Quem disser que eu vi essa lista é um mentiroso,
E vai ter que provar! E se provar, vai se ver comigo!"

Pega ladrão! No Governo!
Pega ladrão! No Congresso!
Pega ladrão! No Senado!
Pega lá na Câmara dos Deputados!
Pega ladrão! No Palanque!
Pega ladrão! No Tribunal!
É por causa desses caras
Que tem gente com fome
Que tem gente matando
Etc e tal...

Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega
Pega, pega ladrão!
A miséria só existe porque tem corrupção!
Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega
Pega, pega ladrão!
Tira do Poder, Bota na prisão!
E você que é um simples mortal
Levando uma vidinha legal
Alguém já te pediu 1 real?
Alguém já te assaltou no sinal?
Você acha que as coisas vão mal?
Ou você tá satisfeito?
Você acha que isso é tudo normal?
Você acha que o país não tem jeito?
Aqui não tem terremoto
Aqui não tem vulcão
Aqui tem tempo bom
Aqui tem muito chão
Aqui tem gente boa
Aqui tem gente honesta
Mas no poder é que tem gente que não presta

"Eu fui eleito e represento o povo brasileiro.
Confie em mim que eu tomo conta do dinheiro."

Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega
Pega, pega ladrão!
A miséria só existe porque tem corrupção!
Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega
Pega, pega ladrão!
Tira do Poder, Bota na prisão!

Tira esse malandro do poder executivo!
Tira esse malandro do poder judiciário!
Tira esse malandro do poder legislativo!
Tira do poder que eu já cansei de ser otário!
Tira esse malandro do poder municipal!
Tira esse malandro do governo estadual!
Tira esse malandro do governo federal!
Tira a grana deles e aumenta o meu salário!

"- Tá vendo essa mansão sensacional?
Comprei com o dinheiro desviado do hospital.
- Ah! E o meu cofre cheio de dólar?
É o dinheiro que seria pra fazer mais uma escola.
- Precisa ver minha fazenda! Comprei só com o dinheiro da merenda!
- E o meu filhão? Um milhão só de mesada!
E tudo com o dinheiro das crianças abandonadas.
- E a minha esposa não me leva à falência
Porque eu tapo esse buraco com o rombo da Previdência.
- Vossa excelência, cê não viu meu avião?
Comprei com uma verba que era pra construir prisão!
- E a superlotação?
- Problema do povão! Não temos imunidade? Pra nós não pega não."

Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega
Pega, pega ladrão!
A miséria só existe porque tem corrupção!
Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega
Pega, pega ladrão!
Tira do Poder, Bota na prisão!

A miséria só existe porque tem corrupção
Desemprego só aumenta porque tem corrupção
Violência só explode porque tem tanta miséria e desemprego
Porque tem tanta corrupção!

"Todos que me conhecem sabem muito bem que eu não admito
O enriquecimento do pobre e o empobrecimento do rico."

E você, que nasceu nesse país
E que sonha e que sua pra ser feliz
Você presta atenção no que o candidato diz?
Ou cê vota em qualquer um, seu babaca?
E depois da eleição você cobra resultado?
Ou fica ai parado de braço cruzado?
Cê lembra em quem votou pra deputado?
E quem você botou lá no Senado?

Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega
Pega, pega ladrão!
A miséria só existe porque tem corrupção!
Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega!
Pega, pega ladrão!
Pega, pega
Pega, pega ladrão!
Tira do Poder, Bota na prisão!

"- Como vocês suspeitavam, eu realmente vi essa lista.
Eu vi, mas não li. E digo mais, eu engoli.
Pra que ninguém lesse também. E foi com a melhor das intenções.
Burlei a Lei, mas com toda honestidade!
- Vossa Excelência engoliu a lista?
- Bem, eu a coloquei para dentro do meu organismo,
Num lugar seguro e escuro. De modo que pra todos os efeitos,
Sendo assim desta maneira, eu me reservo ao direito
De não dizer nada mais. Tá tudo publicado nos anais.
- Mas ontem o senhor falou que não viu a lista.
Hoje o senhor fala que viu a lista. E amanhã o senhor...
- Ah! Amanhã ninguém lembra mais!
E o caso da lista vai entrar prá lista dos casos,
Os casos que ficaram pra trás..."

domingo, 30 de setembro de 2012

Voar...


Martin Luther King

Aprendemos a voar como os pássaros, a nadar como os peixes; mas não aprendemos a SIMPLES ARTE de vivermos junto como irmãos.













                                                                                                      


quinta-feira, 20 de setembro de 2012

"Pulmão de pipocas"


Americano indenizado por "doença das pipocas de microondas"

Wayne Watson vai receber 7,2 milhões de dólares, algo como 5,5 milhões de euros, por ter contraído uma doença pulmonar após inalar, regularmente, o vapor da manteiga artificial de pipocas feitas no microondas.


Um tribunal do Colorado, nos Estados Unidos, deu razão de causa a Wayne Watson, portador de uma doença pulmonar grave e incurável alegadamente relacionada com a inalação de diacetil, um dos ingredientes utilizados para conferir o sabor a manteiga nas pipocas de microondas. O norte-americano vai receber uma indemnização milionária, revela a BBC. 
O fabricante de pipocas Gilster-Mary Lee Corp. e o supermercado que as vendeu foram condenados a pagar uma indemnização de 7,2 milhões de dólares (5,5 milhões de euros) a Watson, e a empresa deverá, ainda, incluir um aviso nas embalagens das pipocas, advertindo para os perigos da inalação do vapor quando as mesmas ainda estão quentes. 
Os jurados concluíram que a fábrica é responsável por 80% da indemnização, e a rede de supermercados  Kroger Co. pelos outros 20%.
Watson já havia feito um acordo com a fabricante de aromatizantes FONA International Inc.

"Pulmão de pipocas"


De acordo com a BBC, os advogados da empresa argumentaram que os problemas de saúde de Watson foram provocados por anos de trabalho com produtos químicos na limpeza de carpetes.  Mas o tribunal confirmou que o norte-americano desenvolveu problemas respiratórios em 2007 depois de passar um ano a comer, regularmente, pipocas de microondas. Watson entrou com a ação na justiça em 2008.

O veredito contra a Gilster-Mary Lee Corp. é o mais recente de uma série de casos de processos judiciais de funcionários de fábricas de pipocas que ficaram doentes.

A doença conhecida como "pulmão de pipoca", irreversível, está relacionada com a inalação de químicos utilizados em aromatizantes e condimentos, que constringe os bronquíolos, dificultando a passagem do ar.

Para a decisão favorável do tribunal do Colorado muito contribuiu o testemunho da médica que fez o diagnóstico da doença em Watson.

Cecile Rose foi consultora para a indústria de aromatizantes, tendo verificado que vários trabalhadores  expostos ao mesmo produto químico haviam contraído o "pulmão de pipocas".

domingo, 16 de setembro de 2012

O Ciclo Idiota-“THE IDIOT CYCLE”





“ÉS MESMO… IDIOTA?”



Tal como as Títeres
Também no que toca ao que CONSUMIMOS, desde alimentos a cosméticos, ao que Respiramos e às Drogas que nos prescrevem, somos completamente MANIPULADOS
Mas, de quando em vez, lá aparece alguém que procura nos evidenciar o que REALMENTE por aí se faz, esperando com isto que os receptores desta informação que mostra a outra face da REALIDADE tenham no final a CORAGEM e a CAPACIDADE de cortar as CORDAS!
Se não sabemos, temos a desculpa de sermos IGNORANTES
Se sabemos, e nada fazemos, então não temos qualquer desculpa e somos apenas IDIOTAS…
Para ver o filme que se segue (que já passou várias vezes na TVI24 por incrível que possa parecer, ou nem por isso, uma vez que este canal do cabo tem 1.3% de audiência!)


E agora… Já não têm desculpa!

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Cinzas da especulação imobiliária- Parte 2

Áreas valorizadas são as que mais têm incêndios de favelas

Dos últimos incêndios que ocorreram neste ano na cidade de São Paulo, nove foram em áreas que aumentaram seus valores no mercado imobiliário. Isso é o que aponta a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE).


Por exemplo, a região em que está localizada a favela de São Miguel Paulista, na zona leste, que foi incendiada no final de agosto, teve a maior valorização imobiliária da capital, em apenas dois anos a alta foi de 214%.

Outras comunidades também estão na “mira” do mercado imobiliário. Na favela do Morro do Piolho, no Campo Belo, zona sul, destruída pelo fogo no dia 3 de setembro, o aumento do metro quadrado foi de 117%. Já na área em que está a Vila Prudente, ao lado do Sacomã, na zona leste, a valorização foi de 149%.

A pesquisa da FIPE também revela que as áreas que possuem mais favelas são as que têm menos incêndios. Na zona sul paulistana, nos distritos do Capão Redondo (com 93 favelas), Grajaú (com 73), Jardim Ângela (com 85) e Campo Limpo (com 79) não houve nenhum incêndio. Essas áreas aglomeram mais de 21% das favelas da capital e são as mais desvalorizadas pelo mercado imobiliário.

Atualmente, São Paulo possui 1.565 favelas, segundo dados da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU).



Fonte: Vermelho

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Gato por Lebre...


Estudo polêmico diz que comida orgânica 'não é mais nutritiva'


Um estudo da universidade de Stanford, nos Estados Unidos, afirma que comida orgânica não é mais nutritiva do que os demais alimentos.
Na média, não foi detectada diferença na tabela nutricional, embora os alimentos orgânicos demonstraram conter 30% menos agrotóxicos.
A pesquisa contradiz o que muitos especialistas dizem sobre alimentos orgânicos. Os resultados do estudo de Stanford foram criticados por ativistas que fazem campanha por agricultura sustentável e produtos orgânicos.

'Surpresos'

O trabalho analisou dados de 17 estudos, que compararam pessoas que comeram alimentos orgânicos com outras que ingeriram não-orgânicos. Também foram observados 223 trabalhos sobre os níveis de nutrientes, bactérias, fungos e agrotóxicos em vários alimentos, incluindo frutas, legumes, grãos, carnes, leite e ovos.
Comidas orgânicas são produzidas de maneira a evitar o uso de agrotóxicos e outros defensivos agrícolas e com padrões menos nocivos ao meio ambiente. Além disso, elas não podem ser modificadas geneticamente.
"Alguns acreditam que comida orgânica é sempre mais saudável e com mais nutrientes. Nós ficamos um pouco surpresos de não descobrirmos isso", conta o pesquisador-chefe, Crystal Smith-Spangler.
De acordo com o estudo, frutas e legumes contêm a mesma quantidade de vitaminas, e o leite não apresenta variação no teor de proteína e gordura. No entanto, algumas pesquisas apontaram que o leite orgânico possui mais ômega-3.
Pesquisa diz que frutas e legumes orgânicos e não-orgânicos têm mesma quantia de vitaminas
Alimentos orgânicos contém mais nitrogênio, o que de acordo com os pesquisadores se deve a diferenças no fertilizante usado e na técnica de colheita. Mas eles acreditam que isto não traz benefícios a saúde.

Críticas

A pesquisa foi divulgado na publicação médica Journal Annals of Internal Medicine, e foi criticada por muitos especialistas.
Para os críticos, nenhuma das pesquisas analisadas durou mais de dois anos, o que impossibilitaria conclusões de longo prazo.
Além disso, as evidências usadas na pesquisa variaram muito, o que, de acordo com os pesquisadores, é explicado pelas diferentes condições climáticas e de solo.
A Associação do Solo, entidade britânica que faz campanha pelo plantio sustentável de comida, disse que o estudo contém falhas.
"Um estudo do Reino Unido usando uma análise correta das estatísticas descobriu que a maioria das diferenças nos níveis de nutrientes entre frutas e legumes orgânicos e não-orgânios vistos neste estudo dos Estados Unidos são, na verdade, muito significativos", disse a entidade.

Fonte:BBC Brasil

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Cinzas da especulação imobiliária- Parte 1

Todos os anos pra quem mora em SP é comum lermos nos noticiários a respeito dos Incêndios em Favelas, ou seja não vemos novidades neste fato. Porém pesquisando sobre o assunto descobri que durante o mandato da ex prefeita Marta Suplicy foi criado um programa de prevenção dos incêndios. A ideia se mostrou tão eficiente como simples: equipar algumas casas com extintores e treinar moradores para acabar com as chamas antes que se propagassem para moradias vizinhas.

Apesar do custo reduzido e do sucesso nas ações, ele foi extinto por José Serra  em 2005, quando assumiu a prefeitura. Sucessor do mesmo, Gilberto Kassab teve a chance de reativar o trabalho depois que um projeto de lei foi aprovado pela Câmara Municipal em 2009, mas não tocou a ideia adiante.
Se poderiam fazer algo e fizeram o contrario certamente é por conta de estarem a defender outros interesses,ao ler o texto abaixo mais uma vez tive minhas duvidas esclarecidas e entendi a mensagem ...Pobre e favelados em área nobre não pode!
Pri


Nos últimos quatro anos, segundo o Corpo de Bombeiros da capital paulista, mais de 500 favelas foram atingidas por incêndios na cidade de São Paulo. As suspeitas de que essas ocorrências sejam criminosas – para abrir espaço a empreendimentos imobiliários – motivou a criação de uma CPI na Câmara de Vereadores. Instalada em abril deste ano, a Comissão encerra seus trabalhos no próximo dia 8 sem ter ouvido um único depoimento.



Incêndios em favelas: descuido ou ato intencional?

Por:Ogg Ibrahim


 Favela da Chácara na tarde desta segunda-feira, 3, na zona sul de São Paulo
Nesta segunda feira (03) os moradores de São Paulo viram mais uma favela arder em chamas. Foi no Morro do Piolho, zona sul da cidade - um local onde estão pipocando dezenas de grandes condomínios. Segundo levantamentos do Corpo de Bombeiros já passam de 30 os casos de incêndio como esse só em 2012. Incrivelmente, os números neste ano eleitoral são maiores que nos anteriores. Coincidência? Talvez não! Talvez a posterior "ajuda" aos desabrigados, com o famoso aluguel social, venha ajudar também candidatos a angariar votos. Coincidência ou não, no local onde restarão apenas as cinzas, em pouco tempo deverá surgir um grande empreendimento imobiliário. Com certeza, de imóveis que passam longe do sonho das famílias que antes residiam ali. Pois é, basta analisar outras destruições urbanas como esta e ver o que se tornou a maioria das favelas incendiadas em áreas nobres da cidade.

Também estão se extinguindo as quadras de tênis. De uns três anos pra cá, muitas áreas que abrigavam quadras de saibro e concreto deram lugar a enormes condomínios comerciais e residenciais. Afinal, é muito mais lucrativo para o dono do terreno trocar o local por uns dois apartamentos de luxo dos que serão erguidos ali do que viver do aluguelzinho das quadras. O mesmo tem acontecido com quadras de futebol society e estacionamentos. Esta última categoria gera ainda mais problemas numa cidade onde não há lugar para estacionar nas ruas.

A construção civil vem engolindo tudo numa voracidade incomum. Onde você vir um terreno enorme vazio, poderá ter certeza de que ele não vai durar assim por muito tempo. E em breve você que transitava calmamente por aquela rua sem trânsito, vai ter de enfrentar o congestionamento provocado pelos milhares de moradores ou trabalhadores que ocuparão a região assim que tudo estiver pronto.

Me pergunto onde vamos parar assim? A selva de pedra se torna cada vez mais de concreto! Conheço pessoas que compraram o apartamento dos seus sonhos com uma linda vista para o horizonte. Pagaram um fortuna só para desfrutar do pôr ou nascer do sol diariamente. Mas agora o que conseguem enxergar são as roupas penduradas no varal das áreas de serviço do mega-prédio que surgiu na frente, três vezes mais alto e mais imponente. E o que fazer? Processar a construtora que tapou sua visão? Processar a construtora que lhe vendeu aquela "pseudo-vista"?

Não sou contra o desenvolvimento, de maneira alguma. Só fico triste em ver famílias sendo desabrigadas, minha cidade perdendo suas áreas de lazer, seus estacionamentos e com isso levando o pôr e o nascer do sol para cada vez mais longe. Claro, as pessoas precisam ter moradia! Mas as que realmente precisam não podem nem passar na porta destes empreendimentos que correm o risco de serem enxotadas. Vão ficar apenas lembrando que um dia aquele terreno ali abrigou seu barraco.

É mais uma situação que foge ao nosso controle. Está nas mãos dos poderosos que, de longe,  jogam o fósforo no palheiro que é uma favela cheia de barracos de madeira e material inflamável. Depois é só soprar as cinzas. E, metaforicamente falando, quem se intoxica com ela somos nós. Haja pulmão pra isso!

domingo, 2 de setembro de 2012

O Bicho

O poema abaixo retrata o cotidiano degradante do homem que atingiu o ápice da miséria,não por que ele quis mas por que a sociedade não lhe enxerga.
Quem nunca se deparou com uma cena como a descrita no texto de Manuel Bandeira?
 Lamentavelmente, esses fatos acontecem tão rotineiramente que muitos já nem se importam mais, pois a essência e a sensibilidade do ser humano quase não se nota .Envolvidos com os afazeres diários nem sobra tempo para olhar pro lado e percebe o ponto que chegamos num progresso desenfreado onde os fracos não tem vez.
Pri


O Bicho

“Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem”.

Manoel Bandeira

sábado, 1 de setembro de 2012

Falo a língua dos loucos, porque não conheço a mórbida coerência dos lúcidos.


           Luís Fernando Veríssimo
Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida...

Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme, no qual estava escrito:

"Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida na Empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes".

No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava atrapalhando sua vida e bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande, que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório. Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:

- Quem será que estava atrapalhando o meu progresso ?
- Ainda bem que esse infeliz morreu !

Um a um, os funcionários, agitados, se aproximavam do caixão, olhavam pelo visor do caixão a fim de reconhecer o defunto, engoliam em seco e saiam de cabeça abaixada, sem nada falar uns com os outros. Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma e dirigiam-se para suas salas. Todos, muito curiosos mantinham-se na fila até chegar a sua vez de verificar quem estava no caixão e que tinha atrapalhado tanto a cada um deles.

A pergunta ecoava na mente de todos: "Quem está nesse caixão"?

No visor do caixão havia um espelho e cada um via a si mesmo... Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: VOCÊ MESMO! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida. Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo. "SUA VIDA NÃO MUDA QUANDO SEU CHEFE MUDA, QUANDO SUA EMPRESA MUDA, QUANDO SEUS PAIS MUDAM, QUANDO SEU(SUA) NAMORADO(A) MUDA. SUA VIDA MUDA... QUANDO VOCÊ MUDA! VOCÊ É O ÚNICO RESPONSÁVEL POR ELA."

O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença. A vida muda, quando "você muda".
Luís Fernando Veríssimo

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Será que você conhece o COLTAN?

Enquanto você está  feliz por adquirir uma nova tv de última geração,ou  aquele Smartfones  super -avançado ,já imaginou o sacrifício que é para adquirir a matéria prima destes produtos?sabia que lá no Congo milhares de pessoas trabalham arduamente para encontrar um dos minerais mais ricos que é necessário para a produção dos respectivos aparelhos eletrônicos que fazem a sua alegria?Seu nome é COLTAN.

Certamente não temos o poder de fazer com que  a estatística pare de crescer em torno da desgraça que paira sobre a vida destas pessoas,mas Na impossibilidade de um boicote total às empresas compradoras do coltan congolês, vale as pessoas tentarem comprar o mínimo possível de eletroeletrônicos portáteis, não é por que todos estão com o ultimo celular da moda que você precisa estar, se o seu ainda está em ótimo estado e em pleno funcionamento. Sai da fila do consumismo desenfreado e mostre que você é capaz de ser alguém que não segue padrões estabelecidos as custas da miséria de outro semelhante a você,que deveria estar usufruindo dos mesmo benefícios que você. Mas é claro que tudo isso é um sonho ,o que é um sonho realizado pra você é um pesadelo para eles.
Não seja mais um egoísta na multidão.

Pri

Coltan o Ouro Negro

Coltan é uma liga de metálica, união de columbita e tantalita. A liga tem ultrarresistência mecânica, térmica, eletromagmética e corrosiva.


Pode-se perceber que o Coltan é importantíssimo. Coltan é uma liga vital na tecnologia (pelo menos é isso que a indústria acha). A liga e seus derivados estão em nossos computadores, nossos smartphones, nossas TV de alta resolução. A minha e a sua diversão não seria possível sem a columbita, a tantalita, o nióbio.
Infelizmente uma das grandes fontes da liga metálica está num lugar destruído politicamente e socialmente. Essa tal região primeiro foi destruída pela colonização europeia. Na Conferência de Berlim, em 1884, amigos foram separados, inimigos históricos foram colocados no mesmo local, o povo foi escravizado, as riquezas foram roubadas. Como muita desgraça nunca vem sozinha, veio a Guerra Fria para acabar de vez com a região. União Soviética e os Estados Unidos da América financiavam golpes consecutivos feitos por qualquer um que não tivesse receito de guerra. Tudo feito em nome de suas ideologias. Quem achava que o que estava destruído por séculos de imperialismo não poderia ficar pior errou feio.
As grandes minas de Coltan estão em Ruanda, Uganda e principalmente na República Democrática do Congo, que de democrática não tem nada. As minas estão numa região onde há guerras, pobreza e desgraça desde quando as potências imperialistas tocaram nos pés na região.
Uma fonte de riquezas que poderia mudar a vida das pessoas realmente fez mudar tudo por lá. Todos devem saber que onde há riqueza, desestruturação social, ruína econômica e instabilidades políticas há uma avalanche de graves problemas. No Congo não é diferente e lá a guerra não é contra as Máquinas, mas em favor delas, em nome do lucro privado e para a manutenção do status de muitos no “ocidente civilizado”.
As minas de Coltan, as mesmas que financiaram a Segunda Guerra do Congo que ocorreu até 2003, onde mais 4 milhões de pessoas morreram, hoje serve de campo de trabalho escravo, de muito trabalho infantil e de violentos conflitos em busca do controle das minas que tem um valor estratégico maior que do ouro e diamante.

Celulares e computadores de sangue

Não bastasse a China e outros países asiáticos fabricar produtos tecnológicos a base de sangue da sua própria população, no Congo a coisa anda pelo mesmo caminho, e ainda pior.
Empresas como Intel, AMD, Motorola, HP, Dell, Sony, Lucent, Hitachi, Apple, Nokia e muito outras, compram o mineral da região congolesa. Nokia, inclusive, após o documentário dinamarquês “Sangue no celular” estrear em 2010, a empresa filandesa parceira da Microsoft tentou culpar seus fornecedores, fitando sua responsabilidade. A empresa, inclusive, não informa quais seus fornecedores em seu site oficial.
A falta de preocupação de empresas norte americanas e europeias com a humanidade ficou em um nível tão alarmantes que as críticas de alguns grupos de Direitos Humanos – que são chamados de chatos por muitos – estavam atrapalhando a imagem de dezenas de grupos corporativos. Intel, por exemplo, anunciou ano passado que Coltan, Tungstênio, Ouro e outros minerais que tem fornecedores nada éticos, iriam sair da linha de produção.
Apple falou a mesma coisa, na mesma época, mas seu iPhone 4S está cheio de Coltan, cheio de sangue, cheio de violência, de estupro, de humilhações, de homicídios em massa e baseado em trabalho infantil e escravo. Eles prometeram então que a empresa estaria livre de mineiras de sangue até 2013. Sera que vão cumprir?Isso eu duvido.

Fornecedores não ligam; fabricantes não ligam; você não liga


Homicídios, violência, estupros, escravidão, perda da dignidade humana é a base da tecnologia de hoje. Congo é só mais um exemplo de “os fins justificam os meios”.
Os fornecedores não ligam para as pessoas, mas apenas para o lucro; as empresas fabricantes fingem que não sabem de onde vem a matéria-prima, em nome dos constantes lucros; as pessoas não querem saber e não ligam de onde vem seus equipamentos, pois o status e o consumismo vem em primeiro lugar. O pior ainda acontece com quem liga, que nada pode fazer por culpa desse ciclo vicioso. Será que algum dia vamos poder comprar um equipamento eletrônico livre de mortes e atrocidades?Enquanto permanecermos anestesiados essa realidade não vai mudar.
Veja o Trailer Oficial do Documentário- Sangue no Celular (blood in the mobile)




Fonte:sinapseslivres

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Minha saúde te importa?

POR: FÁBIO BLANCO



A impressão é que o brasileiro não apenas entregou seu corpo em favor do governo (pois trabalha para ele durante boa parte do ano), mas também sua alma, pois não se importa com as investidas do poder público contra sua intimidade.

O Ministério da Saúde, por meio da Portaria 763/11, determinou que todos os pacientes atendidos pela rede pública ou privada de saúde devem apresentar sua CNS - Carteira Nacional de Saúde, a fim de que todos os procedimentos sejam registrados, vinculando seus nomes, juntamente com o procedimento aplicado, aos dos profissionais de saúde que os atenderam e dos hospitais envolvidos.
Obviamente, os objetivos apresentados são os mais nobres: integração dos dados, controle e administração dos ressarcimentos que o SUS tem direito ao atender paciente vindos de planos particulares e monitoramento do histórico médico de todos os cidadãos, a fim de facilitar a implantação de políticas públicas adequadas.
E ainda que a exigência de apresentação da CNS esteja, temporariamente suspensa, mantém-se a obrigatoriedade de os planos de saúde informarem o número do registro do paciente no SUS no momento do atendimento e, se ele não possuir tal número, registrarem, em tempo real, o cidadão para que ele receba tal identificação.
Está claro, portanto, que, ainda que o desejo do governo não esteja totalmente implantado, o objetivo é o controle total dos dados relativos aos históricos médicos de todos os cidadãos da nação.
Ter, em suas mãos, todas as informações relativas aos cidadãos de seu país é o sonho (que parece não tão utópico) dos governos atuais. O governo brasileiro, tomado, como está, por homens formados por uma ideologia que sempre fora totalitária, não poderia ser diferente. Por isso, ainda que a privacidade, o sigilo e a intimidade sejam protegidos pela Carta Magna do país, não há constrangimento algum na criação de mecanismos que exponham a vida daqueles que habitam nesta terra.
O pior é que também não se vê reação alguma, sequer para o debate, contra essas medidas totalitárias que ignoram completamente qualquer direito à preservação da vida privada dos cidadãos. A impressão é que o brasileiro não apenas entregou seu corpo em favor do governo (pois trabalha para ele durante boa parte do ano), mas também sua alma, pois não se importa com as investidas do poder público contra sua intimidade.
Talvez porque tais medidas sempre venham acompanhadas das melhores justificativas, como segurança, razões financeiras ou organização administrativa, as pessoas acabam aceitando os abusos, calando-se diante deles, tudo em favor do bem comum.
Parece que as gerações atuais sequer possuem noção do que significa o direito à privacidade. Cercados como estão (e por que não dizer: doutrinados?) por uma propaganda massiva que exalta o escancaramento da vida privada, têm esta como algo absolutamente dispensável, senão negativo.
Por isso que, quando surge uma determinação como essa do Ministério da Saúde, que determina que todos os cidadãos do país possuam um cadastro no SUS e sejam obrigados a apresentar o número relativo a ele, seja em consultas em hospitais públicos, seja em particulares, pouquíssimas pessoas percebem o perigo que se encontra em tal medida.
Se o objetivo é a reunião de dados sobre números e tipos de atendimento, será que é tão necessário que o paciente seja identificado? Não bastaria a estatística impessoal, com números e datas dos procedimentos, sem que as pessoas precisem revelar o que fizeram?

É verdade que, pelos meios eletrônicos de informação, qualquer rede pública de saúde poderia ter acesso, facilmente, pelo número de um documento como o CPF, a todo o histórico de atendimento em seus hospitais. Este é o preço que se paga por necessitar dos serviços do Estado. Porém, quando a obrigatoriedade atinge a rede particular, então a sensação é de que não é possível mais fugir dos braços estatais.
A saúde de uma pessoa talvez seja um dos aspectos mais íntimos de sua vida. Há doenças que, muitas vezes, elas não querem que sejam conhecidas, por vergonha, por medo ou por qualquer outro motivo que lhe cabe por direito. Quando mesmo esse aspecto de sua vida é, dessa maneira como deseja o governo, devassado, a sensação é de que os homens não pertencem mais a si mesmos, mas são meros instrumentos do poder governamental.
A força que o Estado obtém com informações como essas é impressionante. Por exemplo, ele pode proibir pessoas que não participaram de campanhas de vacinações a receber atendimentos hospitalares até que aquela situação imposta seja regularizada. Também qualquer agente governamental, com base nos dados contidos no sistema, terá acesso ao histórico de saúde de qualquer cidadão, conhecendo, assim, detalhes íntimos que talvez mais ninguém saiba, nem familiares, nem amigos, tendo assim, em suas mãos, um instrumento que possibilita todo tipo de extorsão ou ameaça.
De qualquer forma, ainda que se considere esses motivos como paranoia de ativistas anti-estatais, não se pode negar que, da maneira como as políticas públicas estão sendo implantadas, a privacidade vai se tornar uma palavra tão obsoleta que talvez apenas os mais letrados e conscientes de seu valor saberão qual é o seu verdadeiro significado.

Fábio Blanco, advogado e teólogo, edita o blog Discursos de Cadeira.