domingo, 6 de setembro de 2015

Alergia a Eletromagnetismo, você sabe o que é?

Francesa conquista direito a pensão por 'alergia a eletromagnetismo'



Uma francesa ganhou o direito de receber uma pensão por invalidez por ter alergia à radiação eletromagnética de aparelhos eletrônicos.
Marine Richard, de 39 anos, receberá €800 (R$2.400) por mês durante três anos.
Ela considerou a decisão uma "conquista" para pessoas afetadas pela hipersensibilidade eletromagnética, também conhecida como EHS na sigla em inglês.
Esta não é uma doença reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que diz que suas causas não estão claras.


Richard diz que teve que mudar sua vida e passar a viver em uma área remota nas montanhas no sudeste francês, em um celeiro que não tem eletricidade.
Ela afirma ser afetada por eletrônicos comuns, como telefones celulares.
Os sintomas mais comuns relatados por quem diz sofrer desta condição incluem dores de cabeça, cansaço, náusea e palpitações.

Efeitos

Estas ondas eletromagnéticas estão ao redor de todos nós atualmente, mas não podem ser vistas.
Nos últimos anos, muitos cientistas têm pesquisado os efeitos de máquinas raio-x, televisões, rádios, celulares, internet, micro-ondas e outras fontes de eletromagnetismo.
Algumas pessoas alegam enfrentar problemas por causa destas ondas de energia e países como Suécia e Estados Unidos reconhecem esta condição como uma doença.


No entanto, a OMS diz não haver evidências científicas de que campos eletromagnéticos podem ser prejudiciais à saúde e defende que mais pesquisas sejam feitas sobre seus efeitos a longo prazo.
A pensão de Richard, determinada por um tribunal de Toulouse, não reconheceu a EHS como uma doença.

Escola processada

Em um outro caso, nos Estados Unidos, os pais de um menino de 12 anos dizem que ele foi diagnosticado com a hipersensibilidade eletromagnética.
Eles afirmam que seu filho é afetado pela conexão de internet sem fio de sua escola.
O menino teria passado a sentir dor de cabeça, sangramentos no nariz e náuseas após a rede sem fio ter sido instalada em 2013.


A escola pediu a uma empresa especializada em tecnologia de comunicação, a Isotrope, para avaliar as emissões de ondas eletromagnéticas em suas instalações.
"A Isotrope chegou à conclusão que os níveis combinados de emissões de ondas de rádio, internet, televisão, entre outros, estão dentro dos limites de segurança federal e estadual", disse a escola em uma nota.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Por que a Finlândia quer pagar um salário mínimo a todos


O que você diria se o presidente de seu país anunciasse que a partir de hoje cada cidadão – trabalhando ou não – receberá uma renda básica?
O primeiro ministro da Finlândia, Juha Sipila, diz que a medida simplificará o sistema de seguridade social do país
Isso parece um sonho, mas pode se tornar realidade em breve na Finlândia, onde o governo avalia implementar em curto prazo um projeto piloto que estabeleceria o pagamento de um salário básico a seus habitantes, independentemente da situação de trabalho.

Ainda não se sabe o valor desse pagamento nem quem poderia se candidatar a recebê-lo, mas o anúncio já despertou interesse em todo o país sobre como funcionaria a medida.
Image caption A proposta do governo estabelece quatro faixas de salário básico mensal, que iriam de US$ 445 a US$ 785
A proposta inicial foi formulada pelo primeiro-ministro do país, Juha Sipila. "Na minha opinião, outorgar um pagamento básico simplifica o sistema de seguridade social", afirmou.
O principal alvo do projeto são os desempregados. Na Finlândia, o desemprego atinge 10% da força de trabalho, cerca de 280 mil pessoas.
Com o índice de desemprego em alta, a medida já conta com apoio de 4 entre 5 finlandeses consultados.

A favor

"O pagamento de um salário básico para todos? Sim, ficaria muito feliz em receber US$ 1,1 mil (cerca de R$ 3,9 mil) por mês", comentou um homem em um centro de busca por emprego em Pori, na costa oeste do país.
No entanto, a estimativa é que o valor do pagamento fique longe dessa cifra.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Renda básica:
  • Não é preciso ter emprego
  • Será concedida mesmo se a pessoa tiver renda de outras fontes
  • Pagamentos adicionais estarão sujeitos ao imposto de renda
  • Finlândia implementará a medida como programa piloto
  • A cidade holandesa de Utrecht iniciará um programa semelhante em setembro
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
"Um pagamento mínimo estimularia as pessoas a ter um trabalho temporário", disse Paivi Hietikko, que colabora no centro de empregos.
Embora ela não tenha renda fixa no momento, recebe um pagamento pelo trabalho no local.
"Ter uma renda básica significaria que a burocracia que encontrei na agência de emprego iria diminuir", afirmou.

Mudança fundamental

Na Finlândia, quem trabalha ganha menos benefícios sociais do Estado.
Os apoiadores da renda mínima também apontam que isso pode ser uma alternativa para o complexo e caro sistema estatal de benefícios.
Para Hietikko, a proposta deve levar em conta potenciais desvantagens. "Os jovens podem perder a motivação a buscar emprego se tiverem a possibilidade de receber uns US$ 785 (R$ 2.785) por mês."
Especialistas consideram, contudo, que ainda é cedo para traçar esse tipo de cenário.
"O salário básico terá um impacto positivo ou negativo? Realmente, não podemos prever como as pessoas reagirão a essa medida", avalia Ohto Kanninen, do centro de estudos Taenk.
Image caption A igualdade de sexos, idade e origem está prevista na Constituição da Finlândia
Medidas semelhantes foram adotadas em outros países da Europa. Em Utrecht, na Holanda, um pagamento mínimo começará a ser realizado para toda a população a partir de setembro.
No Reino Unido, o Partido Verde propôs uma iniciativa parecida a todos os cidadãos britânicos durante o último processo eleitoral.

Igualdade como obstáculo

O primeiro-ministro finlandês se mostrou favorável a fazer um teste em uma região específica do país, com participantes selecionados em diferentes áreas residenciais.
Kanninen propôs testar a medida com 8 mil pessoas provenientes de grupos de baixa renda, fixando quatro níveis de pagamentos mensais, entre US$ 445 (R$ 1.579) a US$ 785 (R$ 2.785).

Com o desemprego em 10%, alguns analistas avaliam que jovens poderão perder a motivação a procurar emprego

 Se o resultado nos índices de emprego forem catastróficos durante o experimento, a medida não será implementada em escala nacional", disse

Diante disso, um dos principais obstáculos a esse projeto piloto é a Constituição da Finlândia, que estabelece que todos os cidadãos são iguais.

E a medida, em menor escala, traria uma situação de desigualdade na população.
No entanto, tendo em conta as implicações para a sociedade finlandesa como um todo, a população poderia se mostrar flexível nessa questão, de olho na recompensa ao final.


Centenas protestaram na Finlândia contra cortes no sistema de seguridade social


Fonte: BBC Brasil

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

O "Cigarro" da Nova Geração

Artista ferve refrigerantes e faz pirulitos para mostrar teor de açúcar de bebidas

  
Ideia surgiu quando fotógrafo ouviu médicos afirmando que refrigerantes são 'cigarro da nova geração' 

Quando o artista e fotógrafo neozelandês Henry Hargreaves ouviu um médico dizer que refrigerantes são “o cigarro da nova geração”, ele quis encontrar uma maneira de representar o risco de maneira visual.

Cientistas acreditam que o açúcar contido nessas bebidas é um dos maiores causadores de doenças como a obesidade, a diabetes e os distúrbios cardíacos. Um estudo realizado ao longo de 22 anos por especialistas da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, revelou que apenas uma lata de refrigerante por dia pode aumentar o risco de um ataque cardíaco em 20%.

“Vi que outro fotógrafo fez uma série de imagens colocando a bebida ao lado de um monte de açúcar, mas achei que deveria ter uma maneira mais impactante de passar o recado”, conta Hargreaves.
Ele decidiu mostrar o que acontece depois que a água presente no refrigerante e em energéticos se evapora. Após ferver a bebida, ele pegou o conteúdo restante – uma mistura de açúcar, corantes e outros subprodutos – e o aplicou em uma forma de pirulito feita de silicone.

Para Hargreaves, refrigerantes são doces disfarçados de bebidas
 

“Acho que o pirulito é a forma perfeita porque, para mim, é isso o que um refrigerante é: um tipo de doce disfarçado como bebida”, conta.

‘Gosma nada apetitosa’

Hargreaves diz que seu projeto não tem nada de científico. As garrafas dos diferentes refrigerantes e energéticos vinham em vários tamanhos, mas cada pirulito se baseia em uma porção individual de cada bebida.

“No início, fiquei surpreso”, revela. “Há muito mais açúcar nesses alimentos do que eu pensava. Praticamente todos os moldes que eu fiz transbordaram.”

Segundo ele, o refrigerante Mountain Dew (que não é vendido no Brasil), de sabor cítrico e fabricado pela Pepsico, foi o campeão, com 77 gramas de açúcar (ou cerca de 19 colheres de chá) por dose individual. “O que sobrou na panela após a água evaporar era uma gosma nada apetitosa”, diz.
Outro fato interessante é de que ao colocar os pirulitos em contato com água, ele rapidamente se tornava uma bebida novamente.

 
Ao colocar o pirulito em contato com a água ele rapidamente voltava a ser uma bebida 

   Hargreaves  conta que o pirulito de Coca-Cola é estranho com uma textura quase lava

Hargreaves conta que não é muito fã de refrigerantes, tendo deixado de consumi-los na adolescência. Mas ao provar seus pirulitos, sentiu que se tratavam de versões super açucaradas das bebidas.


“O pirulito de Coca-Cola foi o mais estranho porque tem uma textura esquisita, quase como lava”, conta
      







  









domingo, 9 de agosto de 2015

Falta de sabor nas frutas

Bom dia  estimados leitores!
Aqui em casa todos procuramos ter hábitos saudáveis principalmente no quesito alimentação. Como  dona de casa não deixo faltar  frutas e verduras, até que outro dia ao descascar uma manga notei que apesar de ser grande e estar madura, a manga não tinha sabor.Isso mesmo não tinha sabor nenhum, fiquei triste na hora por que aquela bela fruta tinha tudo pra ser perfeita mas conseguiram estraga-lá isso pra não mencionar outras frutas e verduras que passam pelo mesmo processo, são encharcados de agrotóxicos e são tirados dos pés antes mesmo de amadurecerem.
A verdade é que o que comemos a muito tempo  atrás já foi saudável de verdade.É claro que existe o mercado de Orgânicos porém está opção não cabe no bolso de todos.
O artigo abaixo fala um pouco da diferença de sabor  (ou da falta dele)dos alimentos reais e dos artificiais, a comparação é interessante, o alerta é bem claro.

Pri
____________________________________________________________________

Frutas perderam sabor e fast food ganhou: seria essa a causa da obesidade?

 Você tomaria refrigerantes se eles não tivessem sabor? E comeria mais frutas se os morangos voltassem a ser suculentos? Segundo o jornalista Mark Schatzker, autor do livro "The Dorito Effect" (O efeito Doritos, em tradução livre), as frutas e Verduras foram perdendo sabor com o tempo enquanto a comida artificial ganhou aromatizantes que nos levaram a comer demais e ficarmos obesos. A solução, segundo ele? Criar frutas e vegetais mais saborosos. Acompanhe a entrevista:


UOL - Você trouxe o sabor para o centro da discussão sobre obesidade. O aromatizante nos leva a comer mais gordura, açúcar e outras coisas ruins disfarçadas? Mark Schatzker - Sim. Na verdade, eu diria que nossas guerras contra a gordura, o açúcar e os carboidratos foram totalmente em vão. É importante lembrar que nossos avós tinham acesso ao açúcar, gordura e carboidratos e de alguma forma eles evitavam comer além do necessário. Nenhum desses nutrientes mudou com o tempo. O que mudou foram os sabores. E muito. Nos últimos 50 anos, as comidas naturais como frutas e legumes foram perdendo o sabor, enquanto a comida processada foi ficando cada vez "saborosa", no sentido de ter mais sabor, com mais aromatizantes sintéticos. De forma simples, o que consideramos saboroso passou dos alimentos naturais para os processados. E é isso o que todo mundo está comendo agora e que está deixando todo mundo gordo.

UOL - Como podemos mudar nossos hábitos alimentares se grande parte dos alimentos disponíveis hoje é processado ou aromatizado artificialmente? Schatzker - Eu recomendo que as pessoas evitem comidas com aromatizantes artificiais ou "naturais" --que também são sintéticos. Em vez disso, foquem em procurar comidas reais, as mais saborosas possíveis, como frango, morango, tomate e abacaxis.

UOL - Como podemos comer felizes uma maçã depois de já ter provado comidas com sabores tão marcantes quanto um doritos? Precisamos de um tipo de detox? Schatzker - Quanto mais você evita a comida processada, menos ela parece interessante. Para pessoas que costumam comer demais esses tipos de alimentos, cortar é mais difícil. Entretanto, quando se trata de sabor, eu ainda acho que a natureza deve ser o farol para guiar nosso paladar. Os melhores restaurantes não servem doritos ou refrigerantes, eles servem suas melhores carnes, frutas e vegetais acompanhados de vinho. Desde que comecei a comprar alimentos com qualidade, percebi que meu paladar mudou. Eu costumava odiar hortaliças, hoje eu as adoro.

UOL - Você menciona a perda de gosto das frutas e verduras por causa da agricultura moderna. Há uma forma de voltar para o que era antes? Schatzker - A razão pela qual nós perdemos o sabor nas frutas e legumes é a manipulação genética. Nós escolhemos genes como tamanho, vida útil e resistência a pragas. Nunca selecionamos os genes de sabor. E com o passar do tempo, o sabor se perdeu. Porém, se nós nos preocuparmos com o sabor e selecionarmos variedades e sementes que sejam saborosas, podemos capturar de volta o sabor. A Universidade da Flórida já conseguiu criar uma variedade de tomate que é tão resistente quanto os modernos, mas o sabor é muito melhor. Acredito que essa seja a direção que a agricultura precisa tomar.

UOL - Comer um Doritos é viciante. O sabor é o maior causador do vício ou há outros componentes? Como podemos deixar de sermos viciados em comidas ruins? Schatzker - Como disse anteriormente, acho que a comida natural, a comida real, pode ser mais saborosa. Na verdade, acho que a comida real também vicia --mas de uma forma mais saudável. Não há nada de errado em buscar ótimas cerejas, tomates ou pêssegos. Eu também acho que a comida natural tem a habilidade de satisfazer um desejo de uma forma que a comida artificial não tem. Escrevi em meu livro sobre a experiência de comer um frango frito com uma receita especial de família --um frango que foi criado como era há 50 anos (livre, com pouquíssimo hormônio). Foi o melhor frango que já comi na vida, mas estava satisfeito depois de alguns poucos pedaços. Não fiquei comendo além do limite. Nós fomos programados para desejar comida. Desejos são naturais. O que precisamos fazer é colocar o desejo em comidas melhores, mais saudáveis, que realmente nos satisfaçam.
UOL - Por que você escolheu o Doritos para simbolizar os alimentos artificialmente aromatizados? Schatzker - Pela simples razão de que o primeiro Doritos não era aromatizado. Ele era apenas um chips de milho salgado, mas não era muito vendido. Foi aí que decidiram aromatizar com o sabor "taco" e depois com "queijo nacho" e ele se tornou aquele salgadinho irresistível e incrivelmente bem sucedido que conhecemos hoje. É um exemplo perfeito do quanto os sabores artificiais são poderosos e lucrativos. Os sabores artificiais nos levam a comer mais do que nós comeríamos normalmente. Como o exemplo mostra, as pessoas não comeriam salgadinhos de milho com sal loucamente. Ou tomariam refrigerantes. Quanto de refrigerante as pessoas tomariam se tirassem o sabor artificial? O refrigerante sem sabor é apenas água com gás e muito açúcar.

UOL - Qual é a pior comida de todas? Aquela que ninguém deveria comer ou beber de novo? Schatzker - Águas vitaminadas. O rótulo induz as pessoas a acharem que água com açúcar é saudável e o sabor artificial faz ela parecer deliciosa. Os Estados Unidos não sofrem de falta de vitaminas, eles sofrem de calorias demais.

 

 

 

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

É hora de parar de ir ao zoológico?

Por Ana Luísa Fernandes
zebraOscar Ciutat
O fotógrafo espanhol Oscar Ciutat realizou um ensaio que captava olhares dos animais no zoológico de Barcelona. Acima, uma zebra.
A vontade de ver de perto uma criatura silvestre tem origem antiga. O biólogo Sérgio Greif explica: "Há indícios de que alguns dos animais mantidos em comunidades pré-históricas não tinham propósitos alimentares, eram mantidos simplesmente pelo prazer de mantê-los".

Já naquela época os animais ficavam presos pela vaidade humana de tentar controlar tudo que vê pelo caminho. Na Idade Moderna, com as Grandes Navegações e a descoberta de novos continentes, as ricas famílias europeias ficaram interessadas nas espécies exóticas das terras distantes. Para completar suas coleções particulares, "importavam" os animais, utilizados como demonstração de riqueza e poder. Em 1515, o Rei D. Manuel, de Portugal, ordenou que levassem até o seu país um rinoceronte da Índia, que foi o primeiro da espécie a pisar em terras lusas desde a época do Império Romano.

O bicho causou comoção, e cartas eram enviadas por todo o país, relatando como era a tal criatura "mítica" (achavam que rinocerontes poderiam estar relacionados com unicórinios). O animal foi oferecido como presente ao Papa Leão X, mas acabou morrendo no trajeto. Com o tempo, essas coleções se tornaram o que hoje conhecemos como zoológicos.

Como um peixe fora d'água

Uma das afirmações utilizadas para justificar o cativeiro ainda naquela época perdura até hoje, mais de 500 anos depois. O contato com os animais estreitaria a relação do ser humano com a natureza. Estimulados pelo conhecimento do que nos rodeia, estaríamos mais dispostos a preservar e respeitar a vida selvagem. Parece lógico, certo? Nem tanto. Sérgio completa: "Não acho realmente que aprendemos a respeitar os animais ou a natureza quando os vemos atrás de grades, reduzidos a uma fração do que os indivíduos de sua espécie representam. Acredito mais que uma visita aos zoológicos nos ensina que podemos subjugar, dominar e aprisionar animais".

 As amostras que são retiradas da natureza e ficam em cativeiro (ou que já nascem lá) não correspondem à realidade e, mesmo sabendo disso, insistimos na criação de espaços artificiais para tentar reproduzir um comportamento que só pode ser percebido em espaços naturais. "O zoológico não é um meio para conhecer um animal em sua essência. A não ser que seja para estudar neuroses de cativeiro", comenta a bióloga Marcela Godoy, professora da Universidade Estadual de Ponta Grossa.
girafaOscar Ciutat
Olhar de uma girafa, que fez parte do mesmo ensaio
Se a intenção for estudar as neuroses de cativeiro, os zoológicos são bons centros de pesquisa. Dá para começar com os pinguins que tomam antidepressivos no Reino Unido, e depois passar para os elefantes confinados que vivem menos da metade que deveriam viver, graças ao estresse e à falta de exercícios. Sobre o assunto, Marcela relata: "Já tive oportunidade de visitar as áreas restritas ao público nos zoológicos. Essas áreas incluem os animais que 'sobram' ou que, por conveniência, não estão aptos à exposição ou aos olhos do público por estarem doentes, com transtornos gravíssimos, lesões, ou representarem algum tipo de perigo mesmo estando presos".

Alguns outros bichos apresentam comportamentos repetitivos e obsessivos, como elefantes que ficam balançando a cabeça ou pássaros que arrancam suas penas. Além de úlceras, atrofia de tecidos, aumento das adrenais e mais uma lista enorme de problemas. Em alguns casos, animais são sacrificados pelo zoológico mesmo sem apresentar agressividade ou doença: morrem só porque tinham a carga genética errada. Foi o caso de um zoológico dinamarquês, que no começo do ano passado sacrificou uma girafa saudável porque ela não tinha os genes apropriados para um programa de criação.

Lobo em pele de cordeiro

É claro que existem zoos que tentam, ao máximo, reproduzir as condições naturais do ambiente para que os animais sejam menos afetados. O problema é que só isso não é suficiente. "Um zoológico pode melhorar as condições da exposição, substituindo as barras das grades por fossos, aumentando os recintos, praticando o enriquecimento ambiental, ou tomando outras medidas. Isso causará uma melhor impressão aos visitantes, mas para os animais o problema vai ser o mesmo. Continuarão expostos ao público, sem possibilidade de expressar grande parte de seus comportamentos naturais", diz Sérgio.
Apesar de todos os problemas, verdade seja dita: alguns (e só alguns) zoológicos são importantes na preservação e resgate de espécies. Eles abrigam animais em extinção, realizando diversos programas de reprodução, que incluem congelamento de células e inseminação artificial.

Uma parcela também resgata bichos que sofriam maus tratos em circos e parques. Mas a exposição e confinamento são desnecessários. Marcela expõe: "Os zoológicos que respeito são aqueles que cumprem seu papel de reprodução de espécies e reintrodução das mesmas na natureza. Sem exposição ao público. Esses, infelizmente, podemos contar nos dedos de uma mão só quantos existem no Brasil". Em 2013, a Costa Rica percebeu que não fazia sentido defender a proteção da natureza se eles mesmos mantinham animais em cativeiro. O país, que concentra uma das biodiversidades mais complexas do mundo, tomou uma decisão radical: todos os zoológicos estatais foram abolidos.

rinoceronte
Aqui, um rinoceronte, tabém parte do ensaio
 
 
Mas a sua curiosidade pelo reino selvagem não precisa sumir, não. A tecnologia está aí para isso: documentários, vídeos, fotos. Agora, se você realmente quer ver de perto, pode ir a parques com animais silvestres. A visibilidade vai ser menor - e a adrenalina bem maior -, mas assim é possível enxergar a natureza como ela realmente é, o que é bem melhor que só ver o que ela não foi. Se você não estiver interessado, também não tem problema, como finaliza Marcela: "A maior contribuição que os seres humanos podem oferecer aos animais é deixá-los em paz".
 
Fonte: SuperInteressante 

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Subway é Realmente Saudável?

Bom dia queridos leitores!
Hoje quero compartilhar com todos mais um alerta a respeito do que chamamos de alimento saudável. Para iniciar vamos ver o que o Azodicarbonamide e a Sbway tem em comum.

A Subway usa um ingrediente chamado de azodicarbonamide  para fazer seu pão. Ele pode ser encontrado na maioria dos pães dos restaurantes Subway na América do Norte (Estados Unidos e Canadá), mas não na Europa, Austrália e em outras partes do mundo.”
“Azodicarbonamide é o mesmo químico usado para fazer tapetes de ioga, sola de sapatos e outros objetos burrachudos. Não deveria ser comida nem ingerido pelas pessoas de nenhuma forma. E, definitivamente, não é “fresco”!! 
A empresa Subway sabe fazer um marketing fenomenal, e com seu Slogan de “comida saudável” fica bem fácil convencer as pessoas de que é um Fast Food “do bem”.
Quando na verdade ele é tão ruim quanto qualquer outro Fast Food, exemplos não faltam: McDonald, Burguer King e cia
Além de consumir tantas calorias quanto se ingere nos concorrentes, ainda são de baixa qualidade.
Ao entrar em uma franquia, você pode ver que em cada opção subway eles exibem informações nutricionais, como por exemplo “Pouca gordura” mas eles não exibem nada dos ingredientes.
Vamos dar uma olhada mais de perto nestes ingredientes:
  • Subway mantem tudo fresquinho e eu descobri como fazem isso. São cheios de conservantes para mantê-lo … bem … fresco! 
Mas Subway faz os sanduíches ou saladas bem na sua frente não é? Mas o que realmente está acontecendo nos bastidores? Caixas de alimentos processados, repletos de aditivos químicos;
  • O pão 9 de grãos parece fresquinho? tem que parecer mesmo, afinal usam quase 50 ingredientes, incluindo farinhas refinadas, condicionadores de massa, MSG , açúcares refinados, etc.
Este pão parece comida real pra você? Certamente não!

Piorou quando se inclui um ingrediente químico chamado azodicarbonamide, que é um ingrediente proibido em vários lugares do mundo como Reino Unido, Europa e Austrália, e se uma empresa é pega usando em Cingapura, pode ser multada em mais de 400.000 mil dólares.

Azocarbonamide é mais vulgarmente usado na produção de plástico, no entanto, é permitido no Brasil como um aditivo alimentar. É usado para melhorar e dar aquele aspecto fresquinho ao pão.
O Reino Unido reconheceu este ingrediente como causa potencial de asma, e aconselha a  não ser ingerido por pessoas que têm alergias alimentares, porque azocarbonamide pode agravar a situação.
Enquanto este gasta quase 50 ingredientes para ser feito,  um Pão real não leva mais de 5 ingredientes.
  • Muitos dos sanduíches são compostos por carnes processadas cheias de nitratos. O consumo de nitratos precisa ser levado muito a sério.
Nitratos são convertidos em nitrosaminas, que aumenta o risco de doenças de forma dramática.
A mais recente pesquisa do World Cancer Research Fund declarou que “carne processada é muito perigoso para o consumo humano.” Ingerir diariamente aumenta o risco de câncer em 50% ,  doença cardíaca em 42% e 19% diabetes;
  • Mesmo a carne de peru processada que parece inofensiva, porque não contém nitratos é cheia de conservantes, aromatizantes, químicas e é cancerígeno. 
O Instituto de Cornell nos Eua revelou que assim que se ingere é imediatamente convertido em um agente cancerígeno no sistema digestivo;
  • Nem as azeitonas escapam. As azeitonas  contém gluconato ferroso, que é um conservante à base de ferro que ajuda a manter azeitonas pretas; 
  • O Pior molho é: molho Mostarda e Mel, contém xarope de milho, corantes artificiais, conservantes e dezenas de aditivos químicos; 
  •  Sanduíche na Subway contém até 3x mais sódio que o McDonalds. A média de ingestão de sódio no Subway é 2.149 mg  contra 1829 mg no McDonalds.
Subway_azodicarbonamide-1

 Azodicarbonamide

Este é um dos ingredientes mais controversos usado nos pães da empresa Subway e por isso merece destaque especial, você merece saber exatamente  o que esta ingerindo:
  • Azodicarbonamida é um pó alaranjado,  utilizado comercialmente na criação de plástico – como esteiras de ioga, solas de sapato, tapetes etc; 
  • Azodicarbonamida é venenoso, recentemente nos Eua um caminhão que transportava azodicarbonamide capotou, foram emitidos os mais altos alertas para evacuar as pessoas em toda localidade.

    Muitas das pessoas queixaram-se de ardência nos olhos e irritação da pele; 
  • A Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que azodicarbonamida  esta ligada para a asma e outras reações alérgicas.

Por que  as companhias usam esses ingredientes?

Simplesmente porque permite que as empresas façam alimentos baratos quimicamente processados como se fossem fresquinhos, melhorando a textura.
Com azodicarbonamida é possível fazer um pão maior e mais branco que o normal.
Processamento mais rápido com ingredientes mais baratos = mais dinheiro no bolso da indústria do Fast Food.
Por favor, espalhe a mensagem com todos que você conhece … ninguém deve comer material de sola de sapato ou tapete.

Fonte: http://verdadeproibida.com/2014/02/como-um-simples-individuo-consegue-enfrentar-grandes-corporacoes/
http://www.emagrecercomnutri.com.br/subway/
 

sexta-feira, 31 de julho de 2015

A cena se repete, e mais um inocente morre

Amados leitores, é triste como a total falta de informação tem  ceifado a vida de muitas crianças, nesses últimos tempos. Aqui no blog tem muitas postagens antigas a respeito do assunto em questão,não é a primeira e nem será a última vez que alerto a todos sobre os perigos das  vacinas. 

Mães por favor sejam mais cautelosas, não aceitem tudo que lhe é  dito  por um médico, enfermeira, agente de saúde, ou até mesmo pelos governantes.Aprenda a questionar, aprenda a buscar mais informação.

 Nossos filhos não são cobaias, não são  brinquedos de se  espetar.É inaceitável ver tantos erros absurdos cometidos por esses pseudos profissionais da saúde.

 Pri

_________________________________________________________________________

Criança de 1 ano tem convulsões e morre após tomar 4 vacinas

 

Piettra Oliveira, de um ano e quatro meses, morreu após tomar quatro vacinas em um posto de saúde na Praça Seca, zona oeste do Rio de Janeiro.

Segundo a mãe de Piettra, Luciana Oliveira, a criança estava com duas vacinas atrasadas, mas, na última segunda-feira (27), foram aplicadas quatro vacinas. Luciana disse que ouviu da enfermeira que não havia problemas em tomar quatro doses ao mesmo tempo.
A criança chegou a ter febre de 39ºC, mas, apesar de tomar remédio, não melhorou e ainda teve convulsões. A família levou Piettra para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Taquara, onde ela teve três paradas cardíacas e não resistiu.

Para a família, a causa da morte foi a reação provocada pelas quatro vacinas. O laudo do IML (Instituto Médico Legal) deve apontar a causa da morte.
O médico que atendeu Piettra na UPA disse que o excesso de vacinas pode ter levado a criança à morte.
Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde lamentou a morte e informou que “não há evidências de que tenha sido causado por evento adverso associado às vacinas”.
video

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Falta Alimento no país, por que boa parte vai para o lixo.

A postagem a seguir nada mais é do que um lembrete ao que muitos fazem no seu dia a dia e não se dão conta: Desperdiçam alimentos .
Não sei se vocês sabem  mas no  Brasil 7,2 milhões de pessoas passam fome de acordo com os últimos dados, então o que você meu caro leitor (a) tem feito para não tornar este numero ainda maior? Uma dica seria antes de ir a feira dar uma  olhada  em sua geladeira, ou  em sua fruteira para não comprar alimentos que não vai utilizar evitando assim que se estrague e vá para o lixo.
É claro que existe muitas outras formas de se evitar o desperdiço de alimento, cabe a cada um escolher o método que melhor se adequa a sua família.
Além de economizar seu suado dinheiro,nestes tempos de crises financeiras em que tudo está um absurdo de caro você  vai evitar desperdício.

Pri
________________________________________________________________________________

Por Ana Luísa Fernandes, Priscila Bellini

Deveria ser ilegal desperdiçar comida?

Ao que parece, sim. Nós produzimos mais alimentos do que o necessário, mas ainda temos milhões de brasileiros que não têm o que colocar no prato. Essa conta não bate justamente porque muitos produtos - ainda em boa qualidade - vão parar no lixo. Para acabar com o desperdício, a França acabou de aprovar uma lei que obriga os mercados a doar os alimentos não vendidos. 
 
Na terra do Napoleão, uma só pessoa joga fora até 30 kg de alimento por ano. A situação ficou tão feia que o jeito foi mesmo apelar para multas e fazer pesar no bolso dos mercados. Na prática, ficou proibido encaminhar para a lata de lixo o que não for vendido, mas que ainda está em boas condições para consumo. Para isso, as saídas possíveis são instituições de caridade, a compostagem agrícola ou até o uso dos produtos para preparar ração animal.
Os brasileiros não ficam para trás em matéria de desperdício - por aqui, cerca de 26 milhões de toneladas são desperdiçadas todos os anos. É um dado alarmante, considerando que mais de 7 milhões de pessoas ainda passam fome no país. O desperdício está presente em todas as etapas da trajetória dos alimentos: desde a colheita até o prato do consumidor. O Chefe do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), Celso Moretti, destacou os problemas que os produtos alimentícios sofrem no transporte. A falta de refrigeração dos alimentos, a colheita feita de modo errado e recipientes inadequados para transporte contribuem para que alimentos em perfeito estado sejam descartados. "Realizamos uma pesquisa que acompanhou o transporte de melões do Rio Grande do Norte até São Paulo. A temperatura no topo da carga chegou a 48ºC", diz.
No Brasil, a ONG Banco de Alimentos tenta reverter o enorme desperdício: ela é uma das grandes responsáveis por atuar na distribução da comida que seria jogada fora. "Atualmente complementamos a alimentação de mais de 21 mil pessoas por dia doando, em média, 30 mil quilos de alimentos por mês só em São Paulo", detalha a nutricionista Marcela Correa, que trabalha no projeto. "Esses alimentos são adquiridos por meio da colheita urbana, na qual os doadores cadastrados em nosso programa cedem as sobras de comercialização que serão redistribuídas pela ONG nas instituições cadastradas no projeto".
Comida desperdiçada
E há, ainda, outros motivos para o desperdício. Existe um preconceito muito grande (e infundado) contra alimentos considerados "feios". Por falta de informação, esses alimentos são descartados mesmo estando em perfeitas condições de utilização. Sobre esse problema, Marcela comenta que, para plantar, colher e transportar os produtos, são gastos inúmeros recursos como água, petróleo e terra, aumentando a rede de desperdício.
Em 2014, alguns supermercados da França lançaram uma campanha para incentivar o consumo de frutas e legumes "feios". O incentivo era um desconto de até 30% nos alimentos. A iniciativa foi um sucesso. Existe também em Portugal a cooperativa Fruta Feia, que trabalha diretamente com o produtor, recolhendo os produtos que seriam descartados e preparando cestas que são vendidas aos associados. Todo o lucro arrecadado é revertido para o próprio projeto. Com o slogan "Gente bonita come Fruta Feia", a cooperativa evita semanalmente o desperdício de 2 toneladas de alimentos hortifruti.
  
Imagem da campanha de supermercados franceses que incentiva o consumo de alimentos feios. A maçã feia. É como uma bonita, só que mais barata. Com frutas e legumes feios, Intermaché luta contra o desperdício alimentar.
        
 
Outro método que evita o desperdício de comida é o aproveitamento integral de alimentos (ou AIA). Ou seja: cascas, sementes, talos, folhas e qualquer outra parte do alimento pode ser usada. Além de evitar o desperdício, essas partes não convencionais são mais ricas em nutrientes e podem render receitas gostosas (dá até pra fazer um beijinho com bagaço de beterraba). O que existe é um preconceito rodeando essa prática, já que ela é comumente associada a pessoas de renda mais baixa. 


Aproveitamento completo

Mas as iniciativas para barrar o desperdício não pipocaram só no Velho Continente. No Brasil, um dos exemplos vem da lei Bom Samaritano, que altera a responsabilidade dos empresários sobre frutas, verduras e alimentos perecíveis em geral levados a instituições de caridade. Atualmente, se alguém passar mal depois de comer produtos doados, o doador pode ser responsabilizado juridicamente. Pelos novos padrões, se o doador não tiver noção sobre problemas com o alimento e quem recebê-lo não identificar nenhum estrago, fica tudo bem. Ou seja, se a pessoa que adquiriu o produto passar mal e isso não tiver nada a ver com o que o doador ofereceu, a lei não pode puni-lo por isso. A medida motivaria mais companhias a aderir aos esquemas de doações e a combater também a fome, que atinge milhões de brasileiros - ainda que nossa produção supere em 30% o necessário para abastecer todos os habitantes do país.
 

O domínio do homem-massa


Os que me acompanham sabem que tenho escrito muito sobre o homem-massa, esse espécime definido pelo filósofo espanhol José Ortega y Gasset no famoso livro 'A Rebelião das Massas' e que é muito pouco compreendido nos dias de hoje. O homem-massa, que ascendeu ao poder, é aquele que define hodiernamente os padrões de pensamento, de comportamento e até de diversões. As mostras cotidianas do predomínio desse sujeito são fartas e quero aqui comentar algumas delas.





Um exemplo que tenho dado é o caso do Adib Jatene, o famoso cardiologista que faleceu há pouco tempo. Ele foi o caso do homem que adquiriu uma excelência técnica inigualável no ofício da medicina e, a partir daí, quis bancar de sábio em ciência política. Legou-nos a execrável CPMF, no suposto de que essa derrama fiscal melhoria os serviços públicos, quando se sabe que isso não é verdade. É claro que, por detrás da visão de Jatene, está a sua crença no coletivismo comunista, ideologia que ele adquiriu independente e a despeito da sua destreza de cirurgião. Casos como o dele repetem-se amiúde. 

Ontem eu estive no shopping mais sofisticado de São Paulo. Estacionei na área externa e tomei a entrada mais próxima. Coincidiu de entrar comigo uma mulher visivelmente “madame”, rica. O notável é que vestia um desses vestidos de marca que, de longe, lhe caia bem e a embelezava. De perto é que vi que o que decorava o vestido eram uns remendos, como aqueles usados pelos bem pobres. A estética do pobre estampada de forma descarada por uma mulher de muitas posses. Chamou-se a atenção porque, até então, eu tinha percebido essa estética do molambo chique nas calças de jeans, estas já uma expressão da estética “trabalhadora” adotada há tempos no vestuário das pessoas mais ricas. Essa moda está generalizada e é encontrada em toda parte. Quanto mais rica a pessoa, mais molambuda anda para ser chique. Os preços das calças de jeans previamente rasgadas e remendadas não me deixam mentir.


Nas pinturas de Portinari deu-se algo equivalente, com a retratação de trabalhadores em ação de trabalho, uma clara exaltação da luta de classe e do coletivismo. Estética muito do agrado dos comunistas. Ter um Portinari na parece é o sonho estético dos ricos que adoram a estética dos pobres.
A moda do molambo não é apenas encontrada entre as mulheres, eu a tenho visto também em homens, mas o fato é aqui mais raro. As dondocas são as que mais gostam de se vestir como trabalhadoras pobres. Muito fashion, pois não? É verdade que os homens são menos sujeitos a modismos e, por mais que tentem, um homem elegante não abre mãos de uma calça e de uma camisa bem cortada, com um paletó ou jaqueta por sobre. Mesmo que a calça ou o casaco sejam de jeans.



Um outro comportamento social típico das massas alucinadas é o que se dá com as torcidas de futebol. Este esporte é belo e se mostra perfeito para ser exibido nas redes de televisões, porém virou um instrumento de amalgamar massas desembestadas. Quando vemos um torcedor na ação de torcer é que percebemos algo próximo da besta-fera. O sujeito fica alucinado, de olhos injetados como um lunático. Tenho a sensação de que ele projeta nos jogadores o esplendor atlético que gostaria de ter para si, sendo esse um dos atrativos a hipnotizar as massas. A proeza do ídolo é como se fosse a própria proeza esportiva do torcedor.



Um outro ponto é que o futebol reduz tudo a uma igualdade de 11 contra 11, uma igualdade falsificada. Como as técnicas de futebol e a preparação física estão mais ou menos disseminadas mundo a fora, então o jogo iguala todos e vence o que é ligeiramente melhor ou dá mais sorte. O campeonato mundial da FIFA produz uma ilusão perfeita de igualdade, pela qual um time dos EUA, por exemplo, pode facilmente ser batido pelo México ou até por Honduras. A indústria da comunicação em torno do futebol criou muitas metáforas tiradas do meio militar e exalta o nacionalismo. A coisa é doentia. O machismo e o orgulho nacional são exaltados de um modo bastante estúpido.


O mesmo se vê nas torcidas dos clubes, mais das vezes levando torcedores a batalhas campais antes, durante e depois dos jogos, na expressão mais crua de sua loucura. Alguns torcedores têm sido assassinados por torcidas rivais com frequência. O fenômeno é mundial. A torcida é uma imersão no coletivo do grupo e basta aderir a ele para ser aceito. Camiseta posta, ingresso comprado, os torcedores esmeram-se em mostrar quem “torce” mais e quem melhor viu a jogada, a que deu certo e a que não deu certo também. Ver torcedores em ação é espetáculo deprimente.




Nem quero aqui falar dos programas de televisão e das novelas, veículos que funcionam como estupefacientes das massas e são por elas adoradas. Enfim, estamos sob o reino do homem-massa, o mesmo que elegeu Lula e Dilma Rousseff e que, governando o Brasil há anos, estão a ponto de destruí-lo. O afã igualitário utópico é que move o PT. Afinal, Lula pode se enquadrar perfeitamente na moda do molambo, ele que veio de baixo e certamente serviu de modelo para os estilistas. Exibir roupas assim, ou torcer pelos times de futebol como Lula faz, são uma maneira de determinar o comportamento nas escolhas políticas. De fato, a profusão dos molambentos chiques é que elegeu o PT.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Cada cabeça uma sentença

Olá meus estimados leitores,boa noite a todos!

Está semana a filha do cantor Gilberto Gil, resolveu se pronunciar a respeito do uso da Curcuma como uma opção saúdavel e natarual para escovar os dentes, ao invés do uso de creme dental.
Como era de esperar  criou-se uma polêmica quanto ao que foi dito, (se bem que em minha opinião ela não disse nenhuma inverdade)  quando alguém tem a coragem de apresentar uma alternativa eficaz, vem toda essa oposição.
Os odontólogos os médicos e uma infinidade de profissionais defendem em muitas situações, suas fontes de renda em detrimento da saúde da maioria.
O flúor,  é adicionado à água no Brasil porque não havia onde despejar esse lixo industrial. Em vários países do primeiro mundo é proibido água com flúor. No entanto, no Brasil os dentistas por costume, ignorância e ganância fazem uso dele. Da mesma forma que nunca um dermatologista dirá que leite de magnésia é o mais eficiente desodorante que existe, nunca nenhum dentista dirá que há substitutos melhores que a pasta de dente,não espere ver isto.
Pri
_______________________________________________________________________

Após publicar post em que defende o uso da cúrcuma para escovar os dentes em substituição aos cremes dentais, gerando polêmica nas redes sociais e críticas de dentistas, a apresentadora Bela Gil disse ao G1 nesta terça-feira (21) que sua intenção era mostrar uma alternativa às pessoas para evitar “os males do flúor”.


Segundo ela, os cientistas e médicos do Brasil precisam testar coisas novas e "não podem ter a cabeça quadrada”.
“Não me arrependo de ter feito esse post. Muita gente me falou ‘tira isso, é uma irresponsabilidade social’. Cada um tem seu olhar. Eu vou continuar com o meu. Gosto do que faço, das minhas experiências e acredito que faz quem quer e segue quem quer. Não estou aqui para apontar o dedo a ninguém”, afirmou.
O texto em sua página no Facebook – que até a manhã desta terça já tinha sido compartilhado mais de 9 mil vezes e recebido mais de 24,3 mil curtidas – fala sobre as propriedades da cúrcuma.
“Cúrcuma para escovar os dentes! Melhor do que qualquer pasta de dente por aí (na minha opinião)!!! Anti-séptica [sic], antibiótica, anti-inflamatória, 100% natural e sem efeito colateral (a não ser as manchas amarelas na escova e na toalha de rosto)”, escreveu Bela.
Após receber diversos comentários negativos em seu post, Bela soltou um texto em seu site dizendo que nunca quis ofender ninguém "mostrando uma alternativa à pasta de dente para pessoas que não querem consumir mais toxinas do dia a dia",
Chamada também de açafrão-da-terra, a cúrcuma é uma planta usada em temperos. Ela tem uma forte coloração amarela e é um dos ingredientes do curry.


A cúrcuma serve para o tratamento de problemas digestivos, como falta de apetite, indigestão ou acidez gástrica, problemas do fígado e da vesícula biliar, artrite, reumatismo, eczema, asma e psoríase. Além disso, a cúrcuma pode ser utilizada para diminuir os níveis de colesterol no sangue, inibir a formação de coágulos e aliviar os sintomas de tensão pré-menstrual.

terça-feira, 7 de julho de 2015

Como ter uma saúde melhor

Como ter uma saúde melhor

 

NINGUÉM gosta de adoecer. A doença é inconveniente e ainda por cima gera despesas. Além de se sentir mal, você talvez não consiga trabalhar, estudar, ganhar dinheiro ou cuidar de sua família. Pode ser que você precise de cuidados e tenha de pagar por remédios e tratamentos caros.
Não é à toa que as pessoas costumam dizer: “É melhor prevenir do que remediar.” Embora nem sempre seja possível evitar ficar doente, você pode fazer muito para retardar o aparecimento de uma doença ou até mesmo se prevenir contra certas doenças. Veja cinco hábitos que podem ajudar você a ter uma saúde melhor desde já.

TENHA UMA BOA HIGIENE


Segundo uma agência do Ministério da Saúde do Brasil, lavar as mãos é “a melhor maneira de prevenir o desenvolvimento de infecções”. Esfregar o nariz ou os olhos com as mãos contaminadas por germes é uma das formas mais fáceis de pegar um resfriado ou uma gripe. Por isso, a melhor defesa é lavar as mãos regularmente. Uma boa higiene também pode evitar a transmissão de doenças mais graves como pneumonia e disenteria, que anualmente resultam na morte de mais de 2 milhões de crianças com menos de 5 anos. Até mesmo a transmissão do mortal vírus ebola pode ser minimizada pelo simples hábito de lavar as mãos.
Em certas situações, lavar as mãos é especialmente importante para proteger sua própria saúde e a de outros. Você deve lavar as mãos:
  • Depois de usar o banheiro.
  • Depois de trocar fraldas ou de ajudar uma criança a usar o banheiro.
  • Antes e depois de tratar um ferimento ou corte.
  • Antes e depois de ficar perto de alguém doente.
  • Antes de preparar, servir ou tomar uma refeição.
Itens usados para uma boa higiene
 

  • Depois de espirrar, tossir ou assoar o nariz.
  • Depois de tocar num animal ou em excrementos de animais.
  • Depois de manusear lixo.
Além disso, é importante lavar as mãos corretamente. Pesquisas mostram que uma grande porcentagem de pessoas que usam banheiros públicos não lava as mãos ou não as lava de forma correta. Qual é a maneira certa de lavar as mãos?
  • Molhe as mãos com água corrente limpa e depois use sabão.
  • Esfregue as mãos até formar espuma, não esquecendo de limpar as unhas, os polegares, as costas das mãos e entre os dedos.
  • Esfregue por pelo menos 20 segundos.
  • Enxágue em água corrente limpa.
  • Seque com um pano limpo ou papel-toalha.
Essas são medidas simples, mas podem prevenir doenças e salvar vidas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

USE ÁGUA DE FONTE SEGURA

 

Um copo de água limpa e fatias de limão
Em alguns países, o esforço para conseguir suficiente água limpa faz parte do dia a dia de muitas famílias. Mas em qualquer parte do mundo isso pode se tornar um problema se a fonte de água potável ficar contaminada por causa de enchentes, tempestades, tubulações danificadas ou outros problemas. Quando a água não vem de uma fonte segura ou não é armazenada corretamente, ela pode causar infecções provenientes de parasitas, além de cólera, diarreia aguda, febre tifoide, hepatite e outras doenças. A água contaminada é uma das causas de aproximadamente 1,7 bilhão de casos de doenças diarreicas todos os anos.
Você pode fazer muito para diminuir as chances de ficar doente ou até se prevenir contra certas doenças
Na maioria das vezes, a cólera é contraída quando uma pessoa ingere água ou alimentos que foram contaminados com matéria fecal de pessoas infectadas. Mesmo logo após um desastre natural, você pode tomar medidas para se proteger caso a água esteja contaminada. Como?
  • Certifique-se de que a água que você usa para beber — além da água usada para escovar os dentes, fazer gelo, lavar louça, lavar alimentos e cozinhar — seja de uma fonte segura, como uma empresa de abastecimento público que trate a água de forma adequada ou garrafas lacradas de um fornecedor confiável.
  • Se houver alguma possibilidade de a água de sua casa estar contaminada, ferva-a antes de usá-la ou trate-a com produtos químicos apropriados.
  • Se usar produtos químicos, como cloro ou pastilhas purificadoras de água, siga cuidadosamente as instruções do fabricante.
  • Use filtros de qualidade, se estiverem disponíveis a um preço acessível.
  • Se não houver nenhum produto para tratamento de água, adicione duas gotas de água sanitária para cada litro de água, misture bem e então deixe a água repousar por 30 minutos antes de usá-la.
  • Sempre armazene água tratada em recipientes limpos e cobertos a fim de evitar uma possível recontaminação.
  • Certifique-se de que todo utensílio — por exemplo, uma concha — que entre em contato com seu estoque de água tratada esteja limpo.
  • As mãos devem estar limpas ao manejar recipientes de água; não mergulhe as mãos nem os dedos na água usada para beber.

 3 CUIDE DE SUA ALIMENTAÇÃO

Alimentos saudáveis de vários grupos de alimentos
É impossível ter boa saúde sem uma boa nutrição e, para ter boa nutrição, você precisa de uma alimentação saudável e balanceada. Talvez seja necessário prestar atenção à quantidade de sal, gordura e açúcar que você ingere, bem como ao tamanho das porções. Inclua frutas, legumes e verduras em sua dieta e coma alimentos variados. Ao comprar arroz, cereais, massas ou pão, prefira os integrais. Esses alimentos são mais ricos em fibras e nutrientes que os feitos com grãos refinados. Quanto às proteínas, coma pequenas porções de carnes magras e procure comer peixe duas vezes por semana, se possível. Em alguns países, também é possível encontrar alimentos de origem vegetal que são ricos em proteínas.
Se comer muito açúcar e gordura, você pode acabar com sobrepeso. Para diminuir esse risco, beba água em vez de bebidas adocicadas. Procure comer mais frutas, em vez de doces. Limite a ingestão de gordura sólida, encontrada em alimentos como linguiça, carne, manteiga, queijo, bolo e biscoito. E, ao cozinhar, use óleos mais saudáveis em vez de gordura sólida.
Muito sal, ou cloreto de sódio, na comida pode aumentar sua pressão sanguínea a um nível prejudicial à saúde. Se você tem pressão alta, leia as informações nas embalagens para limitar a ingestão de sódio. Em vez de sal, use ervas e especiarias para temperar suas refeições.
O quanto você come pode ser tão importante quanto o que você come. Por isso, durante as refeições, pare de comer assim que estiver satisfeito, mas não cheio.
Um problema relacionado à nutrição é o risco de intoxicação alimentar. Qualquer comida pode causar intoxicação se for preparada ou armazenada de forma incorreta. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, milhões de pessoas ficam doentes todo ano por causa de alimentos contaminados e muitos morrem. O que você pode fazer para evitar esse problema?
  • Legumes e verduras podem ter sido cultivados em solo adubado com estrume, por isso, lave-os cuidadosamente antes de prepará-los.
  • Lave as mãos, a tábua de corte, os utensílios, os pratos e a bancada da cozinha com água quente e sabão antes de preparar cada item.
  • Para evitar contaminação cruzada, lave bem uma superfície que esteve em contato com ovos, carne, frango ou peixe crus antes de usá-la para preparar alimentos.
  • Cozinhe o alimento até a temperatura certa e ponha imediatamente na geladeira qualquer item perecível que não será consumido logo.
  • Jogue fora itens perecíveis que tenham ficado por mais de duas horas a uma temperatura entre 21°C e 23°C ou que tenham ficado por mais de uma hora a uma temperatura acima de 32°C.

 4 PRATIQUE ATIVIDADES FÍSICAS

Uma bola de futebol e um par de chuteiras
Seja qual for a sua idade, você precisa praticar atividades físicas regularmente para ficar em forma. Muitas pessoas hoje não se exercitam o suficiente. Por que praticar exercícios é importante? Porque isso pode ajudar você a:
  • Dormir bem.
  • Manter a mobilidade.
  • Manter os ossos e os músculos fortes.
  • Alcançar ou manter um peso saudável.
  • Diminuir o risco de depressão.
  • Diminuir o risco de morte prematura.
Se não praticar exercícios, é mais provável que você:
  • Sofra de doenças do coração.
  • Sofra de diabetes tipo 2.
  • Desenvolva pressão alta.
  • Venha a ter colesterol alto.
  • Sofra um derrame.
O tipo de atividade física mais adequado para você depende de sua idade e de suas condições de saúde. Por isso, é melhor consultar seu médico antes de começar um programa de exercícios. Várias fontes recomendam que crianças e adolescentes realizem todo dia pelo menos 60 minutos de atividades moderadas a intensas. Adultos devem praticar 150 minutos de atividades moderadas ou 75 minutos de atividades intensas toda semana.
Escolha uma atividade que seja divertida. Você talvez goste de basquete, tênis, futebol, caminhada, ciclismo, jardinagem, natação, canoagem, corrida ou outro exercício aeróbico. Como você pode saber se uma atividade é moderada ou intensa? Em geral, uma atividade moderada é aquela que faz você suar; na intensa, fica difícil você conversar.

 5 DURMA O SUFICIENTE

Um quarto quieto e relaxante
A quantidade de sono necessária varia de pessoa para pessoa. A maioria dos recém-nascidos precisa dormir entre 16 e 18 horas por dia; crianças de 1 a 3 anos, cerca de 14 horas; e crianças de 3 a 4 anos, aproximadamente 11 ou 12 horas. Crianças em idade escolar em geral precisam de pelo menos 10 horas de sono; adolescentes, talvez 9 ou 10 horas; e adultos, de 7 a 8 horas.
Descansar o suficiente não deve ser opcional. Segundo especialistas, dormir o suficiente é importante para:
  • O crescimento e o desenvolvimento de crianças e adolescentes.
  • O aprendizado e a retenção de novas informações.
  • Manter equilibrados os hormônios que afetam o metabolismo e o peso.
  • A saúde cardiovascular.
  • A prevenção de doenças.
Não dormir o suficiente está relacionado à obesidade, depressão, doenças cardíacas, diabetes e acidentes trágicos. Com certeza, essas são boas razões para procurar dormir o suficiente.
Então, o que você pode fazer para melhorar seu sono?
  • Procure ir dormir todos os dias no mesmo horário e tente acordar na mesma hora todos os dias.
  • Faça do seu quarto um lugar quieto, escuro, relaxante e que não seja muito quente nem muito frio.
  • Não veja televisão nem use aparelhos eletrônicos enquanto estiver na cama.
  • Deixe sua cama o mais confortável possível.
  • Evite refeições pesadas, cafeína e álcool antes de dormir.
  • Se você seguir essas dicas e ainda tiver insônia ou outros distúrbios do sono — como sonolência excessiva durante o dia ou falta de ar enquanto dorme — talvez seja melhor consultar um profissional de saúde qualificado.