quinta-feira, 3 de maio de 2012

Desemprego atinge 17 milhões de pessoas na Europa por causa da crise

A Espanha tem o pior quadro. Praticamente um quarto da população está fora do mercado de trabalho. Em seguida, vem a Grécia, onde mais de um quinto da população continua em busca de trabalho.

video

 

O desemprego assombra a Zona do Euro. Em toda a Europa, os números são assustadores. Milhões estão sem trabalho. As economias estão parando. As medidas de austeridade impostas pelos governos da zona do euro sufocam a produção, a indústria, os serviços.
O primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, assumiu um tom crítico. Segundo ele, a Europa, que está investindo muita energia em criar instituições, não está conduzindo bem o processo para voltar a crescer. Os dados da agencia Eurostat confirmaram o aumento da depressão econômica do continente.
São os trabalhadores as grandes vítimas da crise europeia. Ao todo, 17 milhões de pessoas estão desempregadas na Zona do Euro. É como se a população inteira da Holanda não tivesse trabalho. É o maior índice europeu dos últimos 15 anos, só registrado em 1997.

A Espanha tem o pior quadro. Praticamente um quarto da população está fora do mercado de trabalho. E a situação é ainda mais dramática entre os jovens: a metade não consegue arranjar emprego. Em seguida, vem a Grécia, onde mais de um quinto da população continua em busca de trabalho.
Em meio ao rigor das reformas econômicas, poucos países saem ilesos. A Alemanha, o país mais rico da Europa, tem uma das taxas de desemprego mais baixas. A previsão dos economistas é de que a situação continue piorando no bloco, e o desemprego atinja os 11%.

As repercussões amargas vêm de lideres políticos e sindicais, que afirmaram que a política econômica conservadora da Europa não funciona e que os objetivos financeiros dos 17 países do Euro são irreais e incompatíveis com o desenvolvimento.

4 comentários:

  1. Oi Pri, qto tempo?
    Espero que possamos nos comunicar mais agora.
    Essa situação está dificil, imaginemos pra quem é imigrante.
    Bom fim de semana pra vc tb. Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patricia minha querida,quanto tempo mesmo bom ver você por aqui.
      Quem é imigrante sofre ainda mais não é,por isso por bem ou por mal prefiro permanecer por aqui.
      Beijos :)

      Excluir
  2. Olá Primavera minha querida,

    A Europa está a cozinhar em fogo lento uma nova guerra. É o binómio capitalista, destruir para construir de novo, manter o povo pobre e escravo, enquanto eles enriquecem cada vez mais e nos roubam os recursos naturais... e não só. Privatizam tudo. Portugal atingiu um recorde histórico de desesmprego: 15,5 por cento. Nem na época da ditadura de Salazar foi tão dástrico.
    Hoje o assassino em massa do 1º ministro, disse à imprensa que a política aplicada foi muito além da exigida pela tróika, FMI, BCE e CE. Disse também que é a política do empobrecimento. Você acredita que tem a lata de dizer isto aos portugueses e ninguém faz nada?! Não sei mesmo onde é que isto vai parar. Somos um povo carneiro mesmo. E povo carneiro, governo de lobos!
    Um beijinho para si, para o Carlos e para seus filhotes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fadinha minha linda!
      Aqui privatizaram todos os aeroportos você ler mais aqui:http://altamiroborges.blogspot.com.br/2012/02/vergonha-dos-aeroportos-privatizados.html

      Então estamos unidas na linha de raciocínio por que por aqui ninguém diz nada,nem critica nada existe uma aceitação dos fatos que é de dar no na garganta. Queria ter uma resposta quanto ao fato de onde iremos parar mas realmente também não sei,pois no que sei não quero acreditar que vai se tornar real pois só de imaginar deixa-me triste por demais.

      Beijos a ti e para a flor do seu jardim vossa filhota. :)

      Excluir